Aleteia

Mais uma missa satânica agendada nos Estados Unidos

nzhamstar
Compartilhar

O arcebispo da cidade de Oklahoma faz um apelo aos organizadores para que não realizem a missa negra

Pela segunda vez neste ano, uma "missa negra" (missa satânica) aberta ao público está sendo planejada nos Estados Unidos. Desta vez, o local do controverso evento deve ser a cidade de Oklahoma.
 
Segundo o site do Oklahoma City Civic Center, o evento está previsto para 21 de setembro. O site anuncia: "A missa negra já foi considerada como um ritual a ser temido, mas hoje está sendo trazida para nova luz. O evento não será apenas esclarecedor, mas educativo. A missa negra será realizada de modo que o público possa participar, com algumas adaptações a fim de garantir que a celebração esteja de acordo com a legislação".
 
Essas adaptações se aplicam, por exemplo, ao chamado “altar feminino”, que será coberto, como explica Adam Daniels, diretor da Dakhma de Angra Mainyu, a igreja satânica de Oklahoma que está organizando o evento. O “altar feminino”, nos ritos “normais” do grupo, são as costas nuas de uma mulher.
 
“Estamos tentando conquistar a tolerância para a nossa liberdade religiosa de praticar a religião satânica”, afirma Daniels. “Nós temos uma igreja legalmente registrada (…) e (queremos) mostrar a missa negra, que é um dos rituais do satanismo, para o conhecimento do público”.
 
Daniels ainda declarou que o evento agendado para setembro pretende ser "um ato desafiador para mostrar aos católicos que o satanismo vai se levantar e lutar pelos nossos direitos religiosos".
 
Ele se recusou a dizer quantas pessoas pertencem à igreja, mas disse que o grupo já organizou demonstrações públicas de um "exorcismo satânico" e de um ritual chamado "apostasia de Jesus Cristo".
 
O arcebispo de Oklahoma, dom Paul Coakley, pediu que os líderes da comunidade local reconsiderem se é adequado ceder o uso do espaço público para um evento desse tipo.
 
"Para mais de 1 bilhão de católicos do mundo todo e para mais de 200.000 católicos só em Oklahoma, a missa é o mais sagrado de todos os rituais religiosos", declarou o arcebispo. "É o centro do culto católico e celebra a redenção do mundo por Jesus Cristo, com a sua morte e ressurreição. A Eucaristia, em particular, que nós acreditamos que é o corpo, sangue, alma e divindade de Jesus Cristo, é a fonte e o ápice da nossa fé. É por isso que nós estamos atônitos e tristes por ver que o Centro Cívico está promovendo como entretenimento e vendendo ingressos para um evento que é, claramente, uma paródia blasfema da missa. A missa negra que está sendo organizada no Centro Cívico em setembro é uma inversão e uma distorção satânica das mais sagradas crenças não só dos católicos, mas de todos os cristãos".
 
A Enciclopédia Britannica define a missa negra como uma "sátira blasfema e geralmente obscena, realizada em cultos satânicos, da verdadeira missa. As costas nuas de uma mulher servem muitas vezes como altar e uma hóstia validamente consagrada costuma ser usada para intensificar a zombaria. O rito geralmente incorpora outros elementos da magia satânica".
 
O arcebispo pediu "àqueles que estão permitindo este evento" que avaliem se este uso de um espaço público é adequado. "Acreditamos que os líderes da comunidade, em particular os membros do conselho do Centro Cívico de Oklahoma, não desejam de verdade permitir ou incentivar um evento que tão flagrantemente perturba tantas pessoas. Acreditamos que, sem dúvida, eles podem corrigir esta situação".
 
Jim Brown, gerente geral do Centro Cívico, declarou que a constituição dos Estados Unidos exige que os espaços públicos sejam disponibilizados para todos, bastando que as finalidades de uso não sejam ilegais. Brown informou que será a quarta vez que o grupo satânico
Boletim
Receba Aleteia todo dia