Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 05 Dezembro |
São Saba
home iconAtualidade
line break icon

Rússia: mundo deve tirar lições da Primeira Guerra Mundial

<p>Autoridades russas participam em Moscou da inauguração de um monumento que marca o 100° aniversário do começo da Primeira Guerra Mundial</p>

AFP - publicado em 01/08/14

Há três meses, a Rússia e o Ocidente têm visto uma escalada dramática das tensões sobre o futuro da Ucrânia

O presidente russo, Vladimir Putin, criticou nesta sexta-feira as "ambições políticas" que ameaçam a paz na Europa, em um discurso misturando passado e presente durante uma cerimônia em memória dos soldados russos mortos durante a Primeira Guerra Mundial.

Em um discurso altamente simbólico e com referências a acontecimentos atuais e da História, o homem forte do Kremlin disse que a guerra de 14-18 deveria ser vista como um aviso.

"Ela serve como um lembrete do que pode levar a agressão e o egoísmo, as ambições excessivas de chefes de Estado e elites políticas quando perdem o bom senso", declarou Putin, que inaugurou um memorial aos soldados russos mortos durante a Primeira Guerra Mundial.

Estas ambições "colocaram a Europa" em perigo, acrescentou.

"Seria bom lembrar isso hoje", disse o presidente russo, ao lado do chefe da Igreja Ortodoxa Russa, o patriarca Kirill, e de várias outras autoridades.

Putin também afirmou que a História provou várias vezes que "a falta de vontade de ouvir uns aos outros" e de respeitar os interesses de cada um sempre tiveram consequências graves.

Em um discurso pontuado de paralelismos históricos, o chefe de Estado russo disse que a Rússia sempre buscou a paz, mas que nunca hesita em repelir a agressão do exterior.

"A violência gera violência", advertiu.

Na aurora da Primeira Guerra Mundial, "a Rússia fez o seu melhor para convencer a Europa de resolver o conflito entre a Sérvia e a Áustria-Hungria de forma pacífica, sem derramamento de sangue."

"Mas a Rússia não foi ouvida e precisou correr ao auxílio de seus irmãos eslavos, defendendo-se e defendendo seus cidadãos contra a agressão estrangeira", continuou o presidente russo.

Há três meses, a Rússia e o Ocidente têm visto uma escalada dramática das tensões sobre o futuro da Ucrânia, levando a uma crise sem precedentes desde o fim da Guerra Fria

Tags:
Mundo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
HUG
Dolors Massot
Médico abraça paciente com Covid-19 que chora...
PADRE NO ALTAR DA MISSA
Reportagem local
Missa de Crisma é interrompida por policiais ...
Missa de Crisma
Reportagem local
Arcebispo detona interrupção de Missa: "Ocorr...
BOKO HARAM NIGÉRIA
Francisco Vêneto
Terroristas islâmicos degolam mais de 100 pes...
Bispo brasileiro Dom Antônio Carlos Rossi Keller
Reportagem local
Mais um bispo brasileiro detona: "Autoridades...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia