Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 24 Novembro |
Santas Flora e Maria
home iconAtualidade
line break icon

A revista vexatória nas prisões é necessária?

© Barnellbe

Cardeal Odilo Scherer - Arquidiocese de São Paulo - publicado em 05/08/14

Mulheres, homens, gestantes, idosos e crianças são obrigados a tirar a roupa e a se submeter à revista íntima e invasiva

Recentemente, o Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) fez uma manifestação ao Governo do Estado de São Paulo, para pedir que seja sancionado o Projeto de Lei Estadual 797/2013, aprovado por unanimidade pela Assembleia Legislativa no dia 3 de julho passado, vedando a revista vexatória nos presídios paulistas.

A revista vexatória é um procedimento realizado em familiares de presos e outras pessoas que visitam os presidiários. Mulheres, homens, gestantes, idosos e crianças são obrigados a tirar a roupa e a se submeter à revista íntima e invasiva, inclusive nos órgãos genitais, diante de agentes penitenciários, de outros visitantes e mesmo diante dos filhos. Nem sempre são levados em conta os padrões de dignidade humana e higiene. Há também quem se queixa de agressões verbais por parte dos funcionários do presídio.

Com a revista, pretende-se impedir a entrada de armas, drogas, celulares e outros objetos nas prisões. O visitante é submetido a uma humilhação discriminatória e à violação da sua dignidade. A prática é autorizada pela administração penitenciária.

Não se nega ao Estado o direito e mesmo o dever de controle e de segurança nos presídios. Mas será mesmo inevitável essa prática, que fere a dignidade humana e acrescenta sofrimento a quem já carrega um fardo de humilhações e privações por causa de um familiar preso? Alega-se que a revista é necessária para evitar que a insegurança e o caos nas prisões.

O argumento, porém, não convence. Um levantamento realizado pela Rede Justiça Criminal mostrou que a apreensão de objetos proibidos com familiares ou visitantes é 4 vezes menor que a quantidade de armas, drogas e celulares encontrados com os presos. No Estado de São Paulo, tais objetos são encontrados em apenas 0,03% das revistas, ou seja, 3 objetos ilícitos a cada 10 mil desses procedimentos degradantes.

Existem outras formas de controle, menos invasivas e vexatórias, também usadas em aeroportos e outros locais, onde a segurança é fortemente zelada. Equipamentos eletrônicos, como detectores de metais, scanners corporais e aparelhos de raio-x poderiam ser usados, mesmo respeitando os limites de exposição à radiação. Uma resolução do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, de 12 de julho de 2006, já recomendava a utilização de equipamentos eletrônicos na revista em presídios e a preservação da honra e da dignidade da pessoa durante os processos manuais de revista.

A Constituição Federal, em seu artigo 1º, garante o princípio da dignidade da pessoa humana. O artigo 5º, tratando dos direitos e garantias fundamentais, prevê que ninguém será submetido a tratamento desumano ou degradante e que a intimidade pessoal é inviolável. O mesmo artigo assegura que a pena não passará da pessoa do condenado a outros, por exemplo, aos seus familiares. O artigo 18 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê a proteção da dignidade da criança e do adolescente e proíbe que sejam submetidos a qualquer tratamento constrangedor ou vexatório. Mesma coisa, no Estatuto do Idoso.

O Brasil ratificou em 1989 a Convenção da ONU contra a tortura e outros tratamentos ou penas cruéis, desumanos ou degradantes; isso obriga o País a seguir as recomendações internacionais sobre o tema. Para o Relator especial da ONU sobre tortura, as revistas íntimas são caracterizáveis como práticas humilhantes, degradantes e de agressão sexual, ou mesmo como tortura, quando feitas com uso de violência.

Vários países, como a Colômbia e os Estados Unidos, já proibiram a revista vexatória. Sem dúvida, isso é mais civilizado. Estaria na hora de o Brasil também acabar com esta prática degradante, sem relaxar a segurança nos presídios. No Congresso Nacional tramita um projeto de lei (PLS 480/2013), que prevê o fim da revista vexatória nas unidades prisionais. Também os governos estaduais podem legislar sobre essa prática, mesmo abolindo-a.

A Pastoral Carcerária Nacional, da CNBB, em parceria com a Rede Justiça Criminal (www.fimdarevistavexatoria.org.br), está em campanha nacional contra a obrigação de revista íntima em presídios, cobrando do Congresso Nacional a aprovação, em regime de urgência, do PLS 480/2013. E que a revista vexatória seja substituída por outros procedimentos mais eficientes e compatíveis com a dignidade humana.

(Arquidiocese de São Paulo)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Medalha de São Bento
pildorasdefe.net
Oração a São Bento para afastar o mal e pedir...
Reportagem local
Oração para afastar o mal de um recinto
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
AGNUS DEI,LAMB
Jesús Colina
Ninguém consegue ouvir este “Agnus Dei” sem s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia