Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 23 Novembro |
Santo Anfilóquio
home iconEstilo de vida
line break icon

Tailândia: o caso do bebê Down abandonado que escandalizou o mundo

AFP PHOTO / Nicolas ASFOURI

THAILAND, Siriracha : Thai surrogate mother Pattaramon Chanbua (L) holds her baby Gammy, born with Down Syndrome, at the Samitivej hospital, Sriracha district in Chonburi province on August 4, 2014. The surrogate mother of a baby reportedly abandoned by his Australian parents in Thailand because he has Down Syndrome was a "saint" and "absolute hero", Australian Immigration Minister Scott Morrison said. AFP PHOTO / Nicolas ASFOURI

Aleteia Vaticano - publicado em 05/08/14

Um casal australiano "descartou" seu bebê nascido de uma barriga de aluguel, ao constatar que a criança tinha síndrome de Down

A notícia escandalizou o mundo inteiro: após ter "encomendado" uma criança por meio de uma barriga de aluguel na Tailândia, um casal abandonou seu bebê por ter síndrome de Down e "aceitou" sua irmã gêmea, que nasceu "normal".

A mãe de aluguel tailandesa mostra os "efeitos colaterais" da prática da barriga de aluguel. Esta história pode ser um convite a países como a França, que debate neste momento a legalização desta prática.

Esta é, antes de tudo, uma história de miséria, de dinheiro, de um contrato: como costuma acontecer nestes casos, um casal rico alugou, ilegalmente e com pleno conhecimento disso, o corpo de uma mulher pobre para criar um filho. Foram 1.600 dólares, o valor de uma mãe de aluguel no país.

O resto teria sido banal, se não fosse sórdido: o casal pediu à mãe que abortasse um dos fetos, ao ficar sabendo que possuía trissomia 21.

A mãe de aluguel rejeitou o aborto

As convicções budistas da mãe de aluguel, Pattharamon Janbua, levaram-na a considerar que o aborto é um pecado; então, ela o rejeitou e levou a gravidez de gêmeos até o final. Mas, após o nascimento, os "clientes" levaram sua menina, deixando seu irmão Gammy com a mãe. Além da síndrome de Down, ele nasceu com graves problemas cardíacos.

Esta história miserável de dinheiro e egoísmo mostra até onde se pode chegar quando os seres humanos são transformados em mercadoria, e como uma eugenia quase sistemática acaba com as crianças que têm síndrome de Down.

Após a divulgação do caso pela imprensa, foi lançada uma campanha para permitir que a mãe tailandesa crie e eduque seu filho, junto a outros dois filhos que já possui. Em poucos dias, a campanha para ajudar o pequeno Gammy superou os 175 mil dólares em doações.

A exploração da miséria humana

Gammy, que agora tem 6 meses, está hospitalizado e é provável que sobreviva à sua má-formação cardíaca. Quanto a Pattharamon Janbua, que tem apenas 21 anos e vive a 90 km de Bangkok, ela aceitou ser mãe de aluguel para resolver os problemas financeiros da sua família.

"O dinheiro oferecido representava uma grande quantidade para mim – comentou à emissora ABC. O que eu queria, com esse dinheiro, era educar meus filhos e pagar minhas dívidas."

Mas, após esta triste história de separação dos gêmeos, ela quis enviar uma mensagem a outras vítimas do negócio da barriga de aluguel: "Eu gostaria de dizer às mulheres tailandesas: não sejam mães de aluguel! Não pensem somente no dinheiro… Se alguma coisa der errado, ninguém ajudará vocês e o bebê será marginalizado da sociedade".

O fato de explorar a miséria destas mulheres jovens para utilizá-las como mães de aluguel é algo comum. No último mês de janeiro, houve outro escândalo: 65 bebês concebidos por mães de aluguel para casais homossexuais não puderam sair do país, devido à falta de documentação em dia – após o abandono das mães que os haviam gestado.

Um jornalista LGBT havia criado um grupo no Facebook e divulgado a informação para pedir às autoridades que concedessem a cidadania israelense aos bebês concebidos ilegalmente.

Tags:
AbortoSíndrome de down
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
ŚWIĘTA TERESA WIELKA
Philip Kosloski
Oração de Santa Teresa de Ávila para acalmar ...
IOTA
Lucía Chamat
Imagem da Virgem resiste a furacão que devast...
EL TOCUY
Aleteia Brasil
Pe. Gabriel Vila Verde: há muita diferença en...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Atenção: versão falsa e satânica da Medalha M...
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vez...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia