Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 29 Novembro |
Bem-aventurados Dionísio da Natividade e Redento da Cruz
home iconAtualidade
line break icon

Cidade ucraniana de Donetsk sofre primeiro ataque aéreo

<p>Homens retiram destroços da frente de uma loja após os ataques aéreos à cidade de Donetsk, no leste da Ucrânia.</p>

AFP - publicado em 06/08/14

Kiev negou estar por trás do ataque, que não deixou vítimas civis, segundo as autoridades locais

O reduto rebelde de Donetsk, no leste da Ucrânia, sofreu nesta quarta-feira seu primeiro ataque aéreo, e as forças governamentais, que se preparam para retomar a cidade, disseram que 18 soldados morreram em confrontos com rebeldes.

Kiev negou estar por trás do ataque, que não deixou vítimas civis, segundo as autoridades locais.

"O distrito de Kakininski sofreu durante a noite um ataque aéreo (…). Não há vítimas civis", declarou a prefeitura em um comunicado, acrescentando que uma bomba havia aberto uma cratera de quatro metros de diâmetro e 1,5 de profundidade em uma estrada.

O ataque ocorreu em uma zona industrial que aloja vários armazéns situada sete quilômetros a leste do centro de Donetsk e da sede da administração local, controlada pelos rebeldes.

Um repórter da AFP observou duas grandes crateras na estrada e outra nos trilhos de um trem a 100 metros, assim como um armazém seriamente danificado e um edifício de escritórios de três andares com todas as janelas quebradas.

Observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) inspecionavam a zona na manhã desta quarta-feira escoltados por dois rebeldes.

Trata-se do primeiro ataque aéreo sofrido por esta cidade, de um milhão de habitantes e controlada pelos rebeldes, desde o início do conflito, em meados de abril. A aviação ucraniana havia bombardeado em maio o aeroporto internacional de Donetsk, na periferia desta cidade do leste do país, em uma tentativa de recuperá-lo.

O porta-voz do Conselho Nacional de Segurança e Defesa, Andry Lysenko, declarou nesta quarta-feira que os militares ucranianos não bombardearam zonas com construções.

Mas o ataque ocorreu num momento em que Kiev redobra seus esforços para recuperar a zona, e depois de ter feito avanços e apertado o cerco em torno de Donetsk nas últimas semanas.

"O cerco se fecha ao redor de Donetsk, Lugansk e Gorlivka", redutos separatistas do leste da Ucrânia, declarou à AFP nesta quarta-feira Oleksi Dimytrachkivski, porta-voz para as operações ucranianas no leste.

"As tropas se reagrupam e reforçam os cordões. Nos preparamos para libertar as cidades" controladas pelos separatistas, declarou.

Um êxodo em massa

O exército garante que praticamente isolou Donetsk da fronteira russa e do segundo reduto rebelde, Lugansk.

Mas também foi vítima de bombardeios, e nesta quarta-feira indicou que 18 soldados morreram e 54 ficaram feridos nos combates das últimas 24 horas, o número mais alto em semanas.

Três civis também morreram durante a noite em bombardeios periféricos de Donetsk, disse a prefeitura, incluindo duas mortes que já haviam sido anunciadas na noite de terça-feira.

O conflito no leste da Ucrânia, que a Cruz Vermelha já classificou de guerra civil, deixou 1300 mortos desde abril, segundo dados das Nações Unidas.

Os civis foram muito afetados, e mais de 285.000 precisaram fugir de seus lares nos últimos meses, segundo a Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR), que alertou sobre o risco de um êxodo maciço se os combates se intensificarem.

As autoridades locais de Lugansk disseram nesta quarta-feira que seguiam sem eletricidade, água corrente, conexões telefônicas e combustível, e que o abastecimento de alimentos estava se reduzindo.

A situação dos refugiados foi alvo de discussões na sede da ONU em Nova York na terça-feira, quando o embaixador russo, Vitali Churkin, pediu que o Conselho de Segurança tome medidas de urgência diante da deterioração da situação humanitária no leste da Ucrânia.

A representante adjunta americana, Rosemary DiCarlo, respondeu dizendo que Moscou tinha sua parcela de culpa na crise. "A Rússia pode colocar fim a tudo isso", lançou.

  • 1
  • 2
Tags:
Mundo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
POPE URBI ET ORBI
Reportagem local
Bênção Urbi et Orbi do Papa Francisco nesta s...
Folheto divulgado por Antônio Carlos da Silva
Reportagem local
Eu nasci mais ou menos em 1988: os 27 anos da...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
FATIMA
Philip Kosloski
Nossa Senhora de Fátima tem um conselho para ...
Medalha Milagrosa verdadeira ou falsa
Reportagem local
Cuidado: saiba distinguir entre a real Medalh...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia