Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Avanço dos jihadistas provoca êxodo em massa de cristãos no Iraque

<p>Soldados iraquianos patrulham rua em Jurf al-Sakhr, 45 km a leste de Bagdá, em 6 de agosto de 2014</p>

Agências de Notícias - publicado em 08/08/14

"Esse é um desastre humanitário. As igrejas foram ocupadas, suas cruzes foram removidas", e mais de 1.500 manuscritos foram queimados

Os jihadistas do Estado Islâmico (EI) invadiram nesta quinta-feira Qaraqosh, a maior cidade cristã do Iraque, o que provocou a fuga de milhares de pessoas, enquanto o Conselho de Segurança da ONU anunciava uma reunião de emergência sobre a situação.

De acordo com o patriarca caldeu Louis Sako, 100 mil cristãos foram obrigados a abandonar suas casas "com nada além de suas roupas", após a tomada de Qaraqosh e de outras cidades na região de Mossul (norte) pelos combatentes do EI.

Entre as localidades ocupadas estão Tal Kayf, Bartela e Karamlesh, que foram "esvaziadas de seus habitantes", denunciou o bispo Joseph Thomas, arcebispo caldeu de Kirkuk e de Sulaymaniyah.

"Esse é um desastre humanitário. As igrejas foram ocupadas, suas cruzes foram removidas", e mais de 1.500 manuscritos foram queimados, ressaltou Sako.

"Hoje fazemos um apelo com muita dor e tristeza ao Conselho de Segurança da ONU, à União Europeia (UE)e às organizações humanitárias, para que ajudem essas pessoas em perigo", insistiu o patriarca que teme um "genocídio" da população cristã iraquiana.

Em Roma, o papa Francisco fez nesta quinta-feira um apelo urgente à comunidade internacional para proteger a população do norte do Iraque.

O porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi, afirmou que o pontífice "se une aos apelos urgentes dos bispos" da região pela paz e pediu à comunidade internacional que proteja e garanta a ajuda necessária às pessoas em fuga.

Pouco depois, diplomatas indicaram que o Conselho de Segurança da ONU teria uma reunião de emergência sobre a situação no Iraque. A reunião, a pedido da França, estava prevista para começar às 17h30 local (18h30 de Brasília) a portas fechadas.

– Sem resistência –

Em Qaraqosh, os jihadistas ocuparam a cidade após a retirada das forças curdas, explicaram moradores dessa localidade cristã de 50 mil habitantes.

Qaraqosh fica entre Mossul, segunda maior cidade do país nas mãos do EI, e Erbil, a capital da região autônoma do Curdistão.

No norte de Mossul, em Tal Kayf, onde viviam muitos cristãos e membros da minoria xiita de Chabak, os jihadistas "chegaram pouco depois da meia-noite" e "não encontraram resistência alguma", relatou Boutros Sargon, um habitante contactado por telefone em Erbil, após fugir durante a noite.

Esse novo êxodo supera por sua amplitude a dos cristãos expulsos de Mossul em julho, enquanto a comunidade cristã no Iraque diminuiu mais de metade desde 2003 e está estimada atualmente em 400 mil pessoas.

Em um comunicado, o EI saudou "uma nova libertação na província de Nínive (de onde Mossul é a capital), que servirá como uma lição aos curdos profanos".

Esse avanço do IE deixa os jihadistas a apenas 20 km das fronteiras oficiais do Curdistão iraquiano e a apenas 40 km de Erbil.

Liderados pelo EI, que já havia se estabelecido na Síria, insurgentes sunitas lançaram em junho uma ofensiva relâmpago no norte do Iraque, ocupando grandes faixas de território.

Aproveitando-se da retirada do Exército, as forças curdas, de longe mais bem treinadas e organizadas, tomaram posições fora de suas fronteiras oficiais, ampliando informalmente o Curdistão em 40%. Elas têm recuado desde o final de julho.

Nesta quinta-feira, no entanto, os peshmerga asseguraram que repeliram um ataque jihadista contra a represa de Mossul, uma infraestrutura que lhe permite controlar o acesso à água e à energia elétrica em toda a região.

E as forças curdas se uniram ao Exército iraquiano e às milícias xiitas para realizar uma operação conjunta para libertar Amerli, uma cidade turcomana sob cerco há quase dois meses pelos jihadistas e localizada 160 km ao norte de Bagdá.

  • 1
  • 2
Tags:
MundoPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
4
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
5
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
6
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
7
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia