Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
home iconAtualidade
line break icon

A experiência de viver o conflito na Cisjordânia

© DR

Città Nuova - publicado em 09/08/14

Atravessar o checkpoint entre as pessoas de Belém, enquanto a Palestina muda você por dentro

Por Luigi Butori

Em Belém os turistas escassos conseguem, a cada hora, chegar até a gruta da Natividade, entrar e rezar sem ser perturbados. Eles têm tempo. Ter tempo para o silêncio interior é uma experiência que enriquece e fala mais sobre as coisas. Gosto das pessoas cada dia mais: as pessoas nos olham com um olhar que contém um “por quê?”, que atinge o fundo da minha alma.

Ontem no ônibus, de Belém até Jerusalém, experimentei algo daquele “porquê” que me parece existir por toda parte. Uma senhora anciã e doente foi objeto de um breve, mas intenso interrogatório sobre o porquê queria passar pelo muro – que divide o povo, os corações e nos faz mal apenas em vê-lo – para chegar a Jerusalém. Aquele muro alto cheio de escritos, onde o Papa colocou suas mãos para rezar. Sofri com ela pela maneira como eram feitas as perguntas por uma jovem que trazia um fuzil nas costas. Rezei e chorei por dentro, pelas duas situações (a jovem que interrogava e a idosa que era interrogada). 

Um dia fui comprar pão e um jovem me explicou como dizer algumas frases em árabe. Ele ficou feliz com a breve conversa e nos cumprimentamos dando um forte aperto de mão. Um dom deste período é buscar sentir o que sentem esses meus irmãos. Pelas ruas a vida caminha naturalmente. Raramente passa um carro com auto-falantes para recolher água e ajudas para Gaza, ou com bandeiras. Alguns jovens fazem isso debaixo de sol.

Encontramos também blusas que são vendidas com um escrito em vermelho: “Somos todos de Gaza!”. Subimos a colina, entre as casas dos refugiados o povo nos olha. As crianças têm até um pouco de medo de nós. Depois, começamos a saudar discretamente uma criança que estava um pouco assustada ao nos ver. O pai, contente, mas discreto, responde com poucas palavras sussurrantes. Repito dentro de mim: “Por quê? Por que aquele muro? Por que não tem água para os palestinos? Por que existe essa espécie de prisão?”.

Agradeço aos meus amigos que me deram meio de experimentar um milésimo das coisas que se vive nesse território e por poder passar pelo checkpoint todos os dias. Por racionar a água e aprender o que significa tomar banho conservando a água. Por aqui posso ainda me mover e um dia, “se Deus quiser”, como se diz por aqui, vou partir para a Europa.

É certo que a Palestina nos muda por dentro, porque nos faz mal. É a primeira vez que vivo como em uma prisão por 7 dias e percebo que não sou mais o mesmo. Permanecerei aqui, sinto que permanecerei. Como permaneci no Nordeste da Tailândia, em meio aos refugiados de Karen, e como permaneci entre as famílias cambojanas no sul de Bancoc. 

Se sou homem, um verdadeiro homem, toda esta dor não poderá ser indiferente a mim, ou passar sobre minha pele como se fosse um filme, que não é. Até quando terei vida, quero contribuir para construir um mundo novo e ajudar também esta gente. Até mesmo aquele foguete, que às 7:55 sobrevoou nossas cabeças e caiu nas casas próximas às dos nossos amigos, um dia o amor o fará parar. Não serão mais lançados. 

A vida continua em Belém, dia após dia o olhar do povo é sempre mais profundo e cinzento. Gostaria, e peço, que a minha vida possa servir para dar uma resposta, mesmo que pequena, àquele “porquê” escrito nos olhos desta gente. Porque um dia o mundo novo será uma realidade.

Tags:
ConflitosGuerraPazTerra Santa
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
PERU
Pablo Cesio
Peru: o menino de 6 anos que reza a Deus de j...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Papa Francisco
Reportagem local
A oração diária de Advento que o Papa Francis...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia