Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 01 Agosto |
Santo Afonso Maria Ligório
home iconAtualidade
line break icon

Iraque designa novo premiê para sair da crise

<p>O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, que deixará o cargo, durante um encontro com o secretário de Estado americano, John Kerry, em Bagdá.</p>

AFP - publicado em 12/08/14

Essa nova liderança tem a difícil tarefa de recuperar a confiança de seus cidadãos

O Iraque tenta virar a página do contestado Nuri al-Maliki com a nomeação de um novo primeiro-ministro nesta segunda-feira, diante da difícil tarefa de derrotar os jihadistas e unir o país.

O presidente americano, Barack Obama, fez uma pausa nas suas férias na ilha de Martha’s Vineyard, em Massachusetts (nordeste), para falar da nomeação do premiê designado Haidar al-Abadi.

Obama pediu uma transição pacífica para um governo que representa todos os componentes da sociedade.

"Hoje, o Iraque dá um passo à frente promissor", afirmou.

"Essa nova liderança tem a difícil tarefa de recuperar a confiança de seus cidadãos, governando de maneira inclusiva e tomando medidas para mostrar sua determinação", disse.

"A única solução durável é que os iraquianos se unam e formem um governo inclusivo", insistiu Obama, depois das reiteradas críticas de que Maliki favoreceu a maioria xiita no país.

Obama reforçou seu apoio a Abadi e lhe pediu que "forme um novo gabinete o quanto antes".

"Peço a todos os líderes políticos iraquianos que trabalhem pacificamente para fazer o processo político avançar nos próximos dias", completou Obama.

União Europeia, Grã-Bretanha, França e ONU também felicitaram Haidar al-Abadi, que tem 30 dias para formar um governo que inclua todas as forças políticas do país.

Já Maliki, que acreditava ter a legitimidade para um terceiro mandato após a vitória de sua coalizão nas eleições legislativas, denunciou a nomeação de Abadi como uma "violação da Constituição", que, segundo ele, foi apoiada por Washington.

Mas essa rejeição não deve comprometer a transição política, já que o primeiro-ministro atual foi abandonado por seus aliados e pelos integrantes de sua própria coalizão, que o acusam de ter deixado o país à beira do abismo com sua política de exclusão da minoria sunita e postura autoritária.

"O país está em suas mãos", disse o presidente Fuad Massum, ao nomear Abadi, um integrante do partido Dawa, de Maliki, que lidera a coalizão do Estado de direito.

Abadi tinha sido escolhido com candidato da Aliança Nacional, o bloco parlamentar xiita, já que tradicionalmente o posto de premiê cabe a um xiita. A formação Estado de Direito faz parte da Aliança Nacional.

– Segurança reforçada em Bagdá –

A comunidade internacional pede a formação de um governo de união para que o governo enfrente a ofensiva iniciada pelos jihadistas sunitas do Estado Islâmico (EI) no dia 9 de junho. Os ultra-radicais continuam ocupando territórios no Iraque e cometendo abusos contra as minorias religiosas, causando o êxodo de centenas de milhares de pessoas.

Enquanto Maliki tem o apoio de oficiais das Forças Armadas, o representante especial da ONU em Bagdá, Nickolay Mladenov, pediu que os militares não se envolvam na transição política.

Enquanto isso, as forças especiais, a Polícia e o Exército se mobilizaram em posições estratégicas em Bagdá, onde as principais vias estavam fechadas e a Zona Verde, que abriga as sedes administrativas do governo e várias embaixadas, ficou ainda mais protegida.

Neste contexto, Abadi afirmou ao vice-presidente americano, Joe Biden, que tem a intenção de formar "rapidamente" um governo "capaz de enfrentar a ameaça do EI e construir um futuro melhor para os iraquianos de todas as comunidades", de acordo com a Casa Branca.

Depois de um grande período de hesitação, Washington decidiu ajudar os iraquianos lançando desde sexta-feira ataques aéreos contra posições jihadistas no norte iraquiano, para conter seu avanço em direção ao Curdistão e proteger o consulado americano em Erbil, capital dessa região autônoma.

O Departamento de Estado americano também anunciou o fornecimento de armas às forças curdas, iniciado na semana passada.

  • 1
  • 2
Tags:
Mundo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
3
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
4
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
5
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
6
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
7
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia