Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 26 Novembro |
São Silvestre Guzzolini
home iconAtualidade
line break icon

Eleições 2014 no Brasil: há ética na política?

Marcelo Camargo/ABr

Lixo de propaganda eleitoral acumulado nas ruas de São Paulo nas Eleições municipais de 2012

Élison Santos - publicado em 13/08/14

O seu voto não diz quem mereceu vencer uma eleição, mas sim que tipo de pessoa você é

O que é certo e o que é errado? Desviar dinheiro público enquanto se faz boas obras é aceitável? Comprar o voto com favores é um ato “ético”? Vender o voto o seria? Votar em uma celebridade visivelmente incapaz de exercer o mandato político apenas por protesto seria um ato considerado “ético”? Diferentemente do que muitos pensam, a ética não é uma lista de normas que definem o que é correto, mas sim a capacidade de se questionar sobre o que é bom ou não. No momento em que uma nação se prepara para escolher seus governantes a Ética deve estar presente, não apenas na mente e na conduta dos candidatos, mas principalmente na mente e no comportamento de seus cidadãos.

A busca pelo poder é inerente ao homem. Desde os primórdios, em toda sociedade há aqueles que são escolhidos para exercer o comando. Nas comunidades primitivas, acreditava-se que os líderes eram escolhidos por força divina e em sua maioria representavam a figura paterna que seria capaz de proteger o povo contra todo o mal e tomar sábias decisões. Diante do processo de evolução as sociedades se distanciaram deste modelo, uma vez que cada cidadão percebe em si o poder de conduzir sua própria vida e proteger-se ele mesmo e sua família contra os males sociais, esperando apenas que os políticos exerçam a função de administrar a coisa pública, e assim se dá a democracia.

Quanto mais evoluído é um país, mais a democracia funciona. Quanto mais noção de liberdade e responsabilidade individual, menos necessidade de figuras paternas para exercer o poder. Quanto mais senso de civilidade, maior a capacidade do povo de construir códigos de valores e de vivê-los em respeito a si mesmos e aos seus concidadãos. Da mesma forma, o contrário também se faz verdadeiro. Quanto menos capaz de se responsabilizar, mais uma sociedade necessita de figuras paternas e mais o sistema político se distancia da possibilidade de ser uma perfeita democracia.

O voto é, antes de tudo, uma responsabilidade, é através dele que um povo revela sua capacidade de viver a democracia. Oferecer o voto a alguém que lhe ofereceu um favor representa ainda uma visão empobrecida do que pode ser a coisa pública, pois o candidato escolhido exercerá um cargo, uma função específica que lhe exigirá acima de tudo a capacidade de discernir sobre o bem comum, a capacidade de questionar-se sobre o que é bom e o que é errado. A bondade de alguém, quando se relaciona à política, não deverá ser medida por sua capacidade de fazer favores, mas ao contrário, por sua capacidade de realizar o bem comum.

Em uma sociedade primitiva, as pessoas estão sempre culpando seus líderes pelos infortúnios da vida, justamente porque quiseram, imaturamente, escolher uma figura paterna para assumir suas responsabilidades, é o que chamamos de paternalismo, o poder está nas mãos de quem em seu discurso oferece proteção. Há também aqueles que escolhem os mais poderosos para exercer o cargo político. Escolhe-se os mais endinheirados e abastados como se tivessem, através de suas fortunas, o direito já pré-estabelecido por alguma força divina de serem considerados líderes sociais, é o que chamamos de patrimonialismo.

O seu voto não diz quem mereceu vencer uma eleição, mas sim que tipo de pessoa você é, do tipo que é capaz de questionar-se sobre o que é certo ou errado, ou do tipo que não assume responsabilidades e quer sempre escolher um pai em quem possa colocar sempre a culpa sobre o que acontece. No final das contas, você decide em que país você quer viver!

Tags:
PolíticaValoresVirtudes
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Confissão não é para contar problemas, mas para contar pecados
Pe. Gabriel Vila Verde
Confissão não é para contar problemas, mas pa...
RED WEDNESDAY
Reportagem local
Perseguição aos cristãos no mundo é denunciad...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia