Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 29 Novembro |
Bem-aventurados Dionísio da Natividade e Redento da Cruz
home iconAtualidade
line break icon

Assange afirma que deixará embaixada do Equador em Londres

<p>Assange (de barba) e Patino participam de uma entrevista coletiva na embaixada</p>

AFP - publicado em 18/08/14

A Suécia reclama Assange para interrogá-lo por dois casos de suposto estupro, mas sem ter indiciado o australiano

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, afirmou nesta segunda-feira que abandonará a embaixada do Equador em Londres, mas o tom de sua resposta e as explicações de seu porta-voz dão a entender que a saída não é iminente nem tem data certa para acontecer.

"Kristinn (Hrafnsson, porta-voz de Assange) disse que pode confirmar que sairei da embaixada em breve", declarou Assange rindo, no que foi interpretado como uma piada sobre o anúncio de vários meios de comunicação, citando o porta-voz, de que ele estava a ponto de sair do local por problemas de saúde depois de 26 meses de asilo.

A saída não será motivada pelas razões "publicadas na imprensa", completou Assange, que compareceu à entrevista coletiva ao lado do ministro equatoriano das Relações Exteriores, Ricardo Patiño.

O australiano não comentou a própria declaração, apesar da insistência dos jornalistas. Mas Hrafnsson fez uma afirmação após a coletiva.

"O que Julian quis dizer é que sairá quando o governo britânico honrar seus compromissos com as leis internacionais".

A imprensa britânica destacou no fim de semana, com base em uma fonte ligada ao WikiLeaks, que o australiano Assange sofre de arritmia cardíaca e problemas do pulmão, além de pressão alta.

Hranfsson também comentou as informações: "Me pareceu que (Assange) estava muito bem".

As especulações sobre a saída levaram dezenas de fotógrafos e cinegrafistas à representação diplomática equatoriana, no bairro de Knightsbridge.

O chanceler equatoriano não mencionou nenhum plano para retirar Assange da embaixada, mas defendeu a atuação de todos os governos envolvidos no caso, antes de destacar que dois anos é muito tempo.

Patiño disse que "a situação deve terminar". "Foram dois anos perdidos para todos, de angústia e incerteza, e esta situação deve terminar. É hora de libertar Julian Assange".

Até que isto aconteça, completou Patiño, o governo do presidente Rafael Correa se compromete a "manter a condição de asilado político de Assange e a oferecer proteção".

A situação, segundo Patiño, mudou porque o Reino Unido introduziu mudanças na legislação que tornam mais difícil extraditar alguém que não foi acusado e porque há um novo ministro das Relações Exteriores, Philip Hammond.

A Suécia reclama Assange para interrogá-lo por dois casos de suposto estupro, mas sem ter indiciado o australiano.

Assange nega as acusações de agressão sexual apresentadas por duas jovens suecas. Ele afirma temer, caso se apresente à justiça sueca, ser entregue ao governo dos Estados Unidos, onde responderia na justiça pela divulgação de centenas de milhares de documentos secretos do exército e do governo americano.

Pouco depois da entrevista, o Foreign Office britânico repetiu sua posição sobre o caso Assange.

"Estamos tão comprometidos como sempre a encontrar uma solução diplomática a esta situação. Somos claros que nossas leis devem ser acatadas e Assange teria que ser extraditado à Suécia. Como sempre, esperamos que o Equador ajude a acabar com esta situação difícil e custosa".

O fundador do WikiLeaks vive na embaixada equatoriana desde junho de 2012 e esgotou todos os recursos jurídicos para evitar a execução de uma ordem de prisão emitida pela Suécia.

Em julho, um tribunal de Estocolmo manteve a ordem de prisão contra Assange, o que representou um banho de água fria para as esperanças de resolução de uma saga judicial que já dura quatro anos.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
POPE URBI ET ORBI
Reportagem local
Bênção Urbi et Orbi do Papa Francisco nesta s...
Folheto divulgado por Antônio Carlos da Silva
Reportagem local
Eu nasci mais ou menos em 1988: os 27 anos da...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
FATIMA
Philip Kosloski
Nossa Senhora de Fátima tem um conselho para ...
Medalha Milagrosa verdadeira ou falsa
Reportagem local
Cuidado: saiba distinguir entre a real Medalh...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia