Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 23 Novembro |
Santo Anfilóquio
home iconAtualidade
line break icon

Cessar-fogo em Gaza é prolongado por mais 24h

<p>Palestinos apoiados em janela de uma casa localizada na Faixa de Gaza, fortemente atingida pelos bombardeios israelenses.</p>

AFP - publicado em 19/08/14

A tarefa dos negociadores é complicada pela multiplicidade de atores palestinos

Os negociadores israelenses e palestinos concordaram nesta segunda-feira sobre prolongar o cessar-fogo na Faixa de Gaza por mais 24 horas, até a meia-noite de terça, com o objetivo de negociar uma trégua duradoura nesse conflito.

Ambas as delegações "chegaram a um acordo para prolongar por 24 horas o cessar-fogo" no território palestino – anunciou um alto funcionário palestino no Cairo, uma hora antes do fim da trégua atual, às 18h (no horário de Brasília).

Pouco depois, uma fonte do governo israelense, que pediu para não ser identificada, confirmou a extensão até a meia-noite de terça (18h no horário de Brasília), acordada "a pedido do Egito, para continuar com as negociações".

Assim, enquanto o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, aumentava a pressão, as informações provenientes do Cairo indicavam o avanço nas negociações baseadas em uma proposta egípcia.

"Estamos prontos para todos os cenários", afirmou Netanyahu.

Segundo ele, a ofensiva lançada por Israel em 8 de julho contra o movimento islâmico palestino Hamas "continuará até que seu objetivo tenha sido alcançado", ou seja, "devolver a calma e a segurança" a Israel.

"As ameaças de Netanyahu não têm qualquer valor", rebateu o porta-voz do Hamas Sami Abu Zuhri.

– Sangrento balanço de mortos em Gaza –

Depois do anúncio do cessar-fogo, um membro da delegação palestina confirmou que "ambas as partes acolheram com muita flexibilidade" uma nova proposta da mediação egípcia. "Fizemos progressos", completou.

O projeto inclui a proposta palestina de abrir um porto e um aeroporto em Gaza, à qual Israel se opõe, disse essa fonte consultada pela AFP, acrescentando que "ambas as delegações consultam seus Estados-Maiores".

Nesse contexto de intensificação dos esforços diplomáticos, o Ministério da Saúde de Gaza informou que a ofensiva israelense matou 2.016 palestinos, civis em sua maioria, e deixou 10.196 feridos. Entre as vítimas fatais, há 541 crianças, 250 mulheres e 96 idosos.

Já Israel anunciou que cinco de seus 64 soldados mortos desde 8 de julho foram alvo de "fogo amigo". Além disso, os foguetes lançados de Gaza também mataram três civis em território israelense.

– Três guerras em seis anos –

Considerado uma organização "terrorista" por Israel, pela União Europeia e pelos Estados Unidos, o Hamas negocia no Cairo, integrando uma delegação que inclui representantes da Jihad Islâmica e do Fatah, ligado ao presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas. Para os palestinos, a suspensão do bloqueio de Israel imposto a Gaza é condição básica para avançar no diálogo.

O Ministério israelense da Defesa se antecipou a um possível fracasso das negociações, ao ordenar a interrupção do tráfego ferroviário entre duas cidades do sul de Israel por medo dos foguetes palestinos.

Ambas as partes parecem conscientes de que as hostilidades poderão voltar rapidamente para esse superpopuloso enclave palestino de 362 km2, que vive sua terceira guerra em seis anos. Nesse sentido, o coordenador especial para o processo de paz da ONU, Robert Serry, pediu aos dois lados "que alcancem um acordo de cessar-fogo duradouro, que responda aos problemas subjacentes em Gaza".

A tarefa dos negociadores é complicada pela multiplicidade de atores palestinos. Abbas foi a Doha se reunir com o líder do Hamas, Khaled Meshal, que está exilado, e com o emir do Qatar, Tamim ben Hamad al Thani, um aliado-chave do movimento islâmico.

Segundo informações vazadas do Cairo, além da trégua também se negocia uma maior abertura dos postos fronteiriços israelenses à circulação de bens e pessoas; a reabertura da passagem de Rafah com o Egito; uma supervisão internacional das fronteiras da Faixa de Gaza; uma extensão da zona de pesca para a população de Gaza e das modalidades para transferir dinheiro.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
ŚWIĘTA TERESA WIELKA
Philip Kosloski
Oração de Santa Teresa de Ávila para acalmar ...
IOTA
Lucía Chamat
Imagem da Virgem resiste a furacão que devast...
EL TOCUY
Aleteia Brasil
Pe. Gabriel Vila Verde: há muita diferença en...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Atenção: versão falsa e satânica da Medalha M...
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vez...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia