Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 29 Fevereiro |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Existe misericórdia para o companheiro de um homossexual?

Candles – pt

© Public Domain

Gelsomino Del Guercio - publicado em 21/08/14

A Igreja acolhe a dor da pessoa, embora reconheça que a ligação não é esponsal

Existe, segundo a Igreja, um direito ao conforto e à consolação para as pessoas homossexuais? Em uma paróquia da região da Toscana foi celebrado o funeral de um homem morto tragicamente de infarto. Durante a homilia, como conta o jornal italiano La Repubblica (dia 15 de agosto), o sacerdote pronunciou palavras simples, mas que não passaram desapercebidas: “Rezemos também por Emanuele, o companheiro de Francesco”.

“O padre – disse Emanuele – que me conhece bem porque íamos sempre juntos à casa dos parentes do Francesco, citou-me junto aos familiares no início da cerimônia. Ouvir pronunciar o meu nome foi como obter um reconhecimento pessoal pela minha história com Francesco”. O pároco explicou seu gesto: “Creio que, independente de qualquer categoria, as ligações afetivas são reconhecidas. Por isso citei o Emanuele na Igreja”.

“Antes de tudo – disse para a Aleteia o padre Paolo Gentili, diretor da Conferência Episcopal Italiana para a pastoral da família – a dor é algo de sagrado, sobretudo nas relações de uma pessoa com a qual existe uma ligação afetiva. Neste caso não falamos de um afeto esponsal, mas isso não tira a existência de uma ligação afetiva entre pessoas homossexuais. O sacerdote respeitou aquela ligação, mesmo não a reconhecendo como esponsal”.

Padre Paolo evidencia que durante um funeral muitas vezes acontece que o pároco fala o nome dos amigos do defunto, dos familiares, das pessoas mais ligadas a ele, para confortá-los. “E esse é um daqueles casos, porque Emanuele e Francesco eram muito conhecidos. Também o padre os conhecia há muito tempo”.

“A Igreja – afirma o diretor – no momento em que celebra a passagem ao Céu de uma pessoa, deve ter sempre um tom de misericórdia nas relações das pessoas próximas ao defunto porque estão sentidas e sofrendo a perda da pessoa”.

Tags:
homossexuaisIgrejaMisericórdiaMorte
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia