Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 25 Julho |
home iconAtualidade
line break icon

Aviação iraquiana bombardeia jihadistas para salvar cidade sitiada

<p>Combatente xiita treina perto da cidade de Najaf, antes de se unir às forças do governo iraquiano na luta contra os jihadistas do Estado Islâmico</p>

AFP - publicado em 27/08/14

Ao menos nove países se comprometeram em enviar armas às forças curdas iraquianas, numa tentativa de conter os jihadistas

A aviação iraquiana prosseguia bombardeando os jihadistas do Estado Islámico (EI) que sitiam a cidade turcomana xiita de Amerli, onde já não há água para os habitantes, que temem ser vítimas de uma matança por parte dos islamitas radicais.

O avanço do EI – que proclamou um califado entre a Síria e o Iraque – gera uma crescente preocupação entre a comunidade internacional.

Ao menos nove países se comprometeram em enviar armas às forças curdas iraquianas, numa tentativa de conter os jihadistas.

Paralelamente, segundo o jornal The New York Times, o presidente Barack Obama está a ponto de tomar uma decisão sobre os bombardeios na Síria e busca constituir uma coalizão internacional.

Enquanto isso, a situação em Amerli, sitiada há dois meses pelo EI, é cada vez mais preocupante. Os habitantes carecem de água, alimentos e temem um massacre como o cometido pelos jihadistas contra os cristãos.

O exército iraquiano realizou nove bombardeios na terça-feira contra posições dos combatentes islamitas, segundo uma fonte militar.

Os habitantes de Amerli reclamavam há semanas uma intervenção militar.

"Não há no momento qualquer possibilidade de retirar os habitantes de Amerli e a ajuda que chega é limitada", lamenta Eliana Nabaa, porta-voz da missão da ONU no Iraque.

Os Estados Unidos também prosseguem com os bombardeios no norte do Iraque, onde conseguiu destruir veículos militares do EI.

Como as tropas curdas são a ponta de lança contra os jihadistas, o secretário da Defesa americana Chuck Hagel anunciou que sete países, além dos Estados Unidos, se comprometeram em entregar armas aos curdos.

"Além do apoio dos Estados Unidos e do governo iraquiano, sete países se comprometeram a proporcionar às forças curdas as armas e o equipamento de que necessitam de maneira urgente", declarou Hagel em um comunicado.

Os países em questão são Albânia, Canadá, Croácia, Dinamarca, Itália, França e Grã-Bretanha.

O presidente do Curdistão afirmou, por sua parte, que o Irã foi o primeiro país a fornecer material militar, elevando para nove os países envolvidos.

Situação incômoda com a Síria

Os Estados Unidos começaram a realizar voos de reconhecimento sobre a Síria para localizar potenciais alvos de ataques aéreos contra os jihadistas do EI, mas a operação não tem qualquer coordenação com o governo em Damasco, que também combate os jihadistas.

Na terça-feira, o porta-voz da Casa Branca Josh Earnest, afirmou que "não há qualquer projeto de coordenação com o regime sírio no momento em que enfrentamos esta ameaça terrorista", mas um funcionário sírio – que pediu para ter a identidade preservada – garantiu que "a cooperação já começou e os Estados Unidos passam informação a Damasco através de Bagdá e Moscou".

Na segunda-feira, o regime de Damasco havia anunciado sua disposição de cooperar em nível internacional, inclusive com Washington, para combater os jihadistas. O presidente Bashar al-Assad é acusado de ter atacado seu próprio povo ao reprimir brutalmente manifestações contra o governo que desencadearam uma guerra civil em março de 2011

O governo sírio também deixou claro que qualquer ataque em seu território precisa de sua cooperação, pois, caso contrário, consideraria a atitude uma "agressão".

O governo dos Estados Unidos, que efetuou mais de 100 ataques aéreos contra as posições do EI na região norte do Iraque desde 8 de agosto, cogitou na semana passada a possibilidade de atacar a vizinha Síria, após a decapitação do jornalista americano James Foley por combatentes do grupo ultra-radical.

Josh Earnest, no entanto, indicou que o presidente Barack Obama não tinha tomado uma decisão sobre eventuais ataques na Síria.

Tags:
Mundo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
6
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
7
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia