Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 05 Dezembro |
São Saba
home iconPara Ela
line break icon

É melhor morar juntos antes de casar-se?

© auremar/SHUTTERSTOCK

chastity - publicado em 03/09/14

Entenda melhor por que morar juntos antes do casamento influencia negativamente o futuro do casal

O casamento é uma das decisões mais importantes que uma pessoa pode tomar em sua vida. Quando pensamos nos altos índices de divórcios e na difícil experiência de ter pais divorciados, entendemos por que os casais pensam duas vezes antes de se casar.

Algumas vezes acontece que um dos dois está disposto a se casar, enquanto o outro tem dúvidas. Quem se sente preparado poderia pensar: “Talvez possamos ficar noivos e tentar morar juntos durante um tempo. Talvez assim eu convença meu namorado(a) a dar o próximo passo”.

Em outros casos, nenhum dos dois se sente preparado para o casamento. Podem pensar: “Podemos morar juntos para ver se somos compatíveis. Conforme o tempo for passando, se tudo correr bem, podemos compartilhar casa e gastos. Mas, se as coisas não funcionarem entre nós, não precisaremos nos divorciar e passar por todo esse drama. Além disso, precisamos conhecer melhor uma pessoa antes de assumir o compromisso de estar juntos para sempre”.

Parece lógico pensar que morar juntos pode oferecer uma previsão do que acontecerá no casamento. No entanto, os sociólogos descobriram que “a expectativa de uma relação positiva entre a convivência e a estabilidade matrimonial foi rompida nos últimos anos, segundos estudos realizados em diversos países ocidentais” (2).

Os estudos afirmam que, se você deseja ter um casamento exitoso, é melhor conviver só depois da cerimônia. Quais são os motivos?

– Muitos casais que moram juntos nunca chegam a se casar, mas aqueles que o fazem têm uma taxa de divórcio 80% acima dos que esperam para morar juntos após o casamento (3).

– Os casais que moram juntos antes de se casar têm muitos problemas conjugais e uma comunicação pior, e procuram com mais frequência os consultores familiares (4).

– As mulheres que moram com o parceiro antes do casamento têm três vezes mais probabilidade de enganar seus maridos que as que o fizeram (5).

– O Departamento de Justiça dos EUA observou que as mulheres que moram com o namorado têm 62 vezes mais probabilidade de ser agredidas por eles que as casadas (6).

– As mulheres que moram com o namorado têm três vezes mais probabilidade de sofrer depressão que as casadas (7).

– Os casais que coabitam estão sexualmente mais insatisfeitos que os que esperam o casamento (8).

Do ponto de vista da duração do casamento, da paz marital, da fidelidade, da segurança física, do bem-estar emocional e da satisfação sexual, a convivência não é a receita para a felicidade. Inclusive o USA Today afirma: “Poderia ser amor verdadeiro? Verifique isso no cortejo, não na convivência” (9).

Por que morar juntos antes do casamento leva a mais divórcios?

Se as coisas andam razoavelmente bem, os casais que moram juntos chegam ao casamento pensando: “Não brigamos demais e, depois de morar tanto tempo juntos, temos certeza de não querer estar com outra pessoa. Por que não oficializar o vínculo?”.

Com frequência, estes casais encontram problemas para explicar exatamente o que é o casamento. Acham que consiste em fazer uma grande cerimônia e depois voltar à vida cotidiana. Isso destrói o significado do matrimônio como um pacto que duas pessoas fazem diante de Deus.

E, como pensam pouco no casamento, estão menos preparados para conservá-lo. Mais ainda: a ruptura de um casal que mora junto sem casar-se pode ser tão desgarradora quanto um divórcio oficial.

Uma segunda razão para uma taxa de divórcios tão alta é a capacidade que a intimidade sexual tem de unir um casal emocionalmente, enquanto o protege dos problemas do seu relacionamento. Os meses e anos passados antes do casamento são momentos de sério discernimento. Manter relações sexuais nesse período obstaculiza a capacidade de discernir com clareza.

  • 1
  • 2
  • 3
Tags:
AmorCasamento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
HUG
Dolors Massot
Médico abraça paciente com Covid-19 que chora...
PADRE NO ALTAR DA MISSA
Reportagem local
Missa de Crisma é interrompida por policiais ...
Missa de Crisma
Reportagem local
Arcebispo detona interrupção de Missa: "Ocorr...
BOKO HARAM NIGÉRIA
Francisco Vêneto
Terroristas islâmicos degolam mais de 100 pes...
Bispo brasileiro Dom Antônio Carlos Rossi Keller
Reportagem local
Mais um bispo brasileiro detona: "Autoridades...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia