Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconAtualidade
line break icon

'Todas as bases estão cobertas' pela coalizão para derrotar o EI, diz Kerry

<p>"Todas as bases estão cobertas" pela coalizão multinacional liderada por Washington para derrotar o Estado Islâmico, declarou o secretário de Estado americano, John Kerry, que multiplica seus esforços diplomáticos no Oriente Médio</p>

AFP - publicado em 15/09/14

O regime de Bashar al-Assad realiza há semanas ataques aéreos contra posições do jihadistas

"Todas as bases estão cobertas" pela coalizão multinacional liderada por Washington para derrotar o Estado Islâmico, declarou o secretário de Estado americano, John Kerry, que multiplica seus esforços diplomáticos no Oriente Médio.

"Cada um dos elementos da campanha do presidente (Obama) e o que é preciso fazer para cumprir nosso objetivo foi oferecido por um ou vários países e todas as bases estão cobertas", declarou o chefe da diplomacia em Washington em uma entrevista ao programa Face the Nation da CBS.

Kerry falou a partir do Cairo no sábado, antes da divulgação do vídeo da execução de um terceiro refém ocidental por parte do EI, o britânico David Haines, e antes da eventual votação no Congresso nesta semana do plano do presidente, Barack Obama, para treinar e equipar rebeldes sírios moderados, um elemento chave de sua estratégia para destruir a organização jihadista sunita.

Não haverá coordenação com o regime sírio

No entanto, Kerry reafirmou neste domingo que Washington não tem planos de coordenar com Damasco possíveis ataques contra o EI na Síria, mas disse que vai fazer todo o possível para evitar incidentes.

"Não haverá uma coordenação com a Síria", ressaltou Kerry na entrevista.

Funcionários do governo sírio haviam falado da possibilidade de coordenar uma ação contra o EI.

O regime de Bashar al-Assad realiza há semanas ataques aéreos contra posições do jihadistas, que proclamaram um califado sobre os territórios que controla no Iraque e na Síria.

"Nós não vamos coordenar, não se trata de um esforço de cooperação", afirmou Kerry, embora tenha admitido medidas para evitar o risco de colisão no ar ou fogo cruzado.

Os Estados Unidos bombardearam posições do Estado Islâmico no Iraque quase todos os dias desde 8 de agosto, como parte das operações para auxiliar as forças iraquianas e curdas a recuperar o controle dos territórios tomados pelo grupo, formado por muçulmanos sunitas ultrarradicais.

Na semana passada, Obama autorizou ataques aéreos na Síria, onde o EI tem suas bases de retaguarda, mas por hora esses ataques não foram executados.

Kerry, que está em giro pelo Oriente Médio desde quarta-feira para formar uma ampla coalizão contra os jihadistas, mostrou-se satisfeito com a resposta aos pedidos feitos por uma ampla cooperação internacional para enfraquecer e destruir o EI.

Objetivos da campanha no Oriente Médio

A campanha contra os jihadistas do Estado Islâmico (EI) terminará quando este grupo já não representar uma ameaça aos Estados Unidos e aos seus aliados no Oriente Médio, declarou neste domingo um assessor do presidente Barack Obama.

O chefe de gabinete da Casa Branca, Denis McDonough, afirmou que o objetivo da estratégia delineada por Obama é fazer com que o EI "não atraia novos seguidores e não ameace os muçulmanos na Síria, Irã, Iraque e em outros lugares. Isto é exatamente o que significaria uma vitória".

"Obviamente, é uma tarefa complexa", admitiu McDonough. "Essa é a razão pela qual o presidente tem agido com cautela e prudência", acrescentou em uma entrevista transmitida no programa televisivo Meet the Press da NBC.

O plano de Obama apresentado em seu discurso no dia 10 de setembro, que inclui uma intensificação dos ataques aéreos contra o EI, recebeu uma resposta cética, e seus críticos apontaram que mesmo a Al-Qaeda não foi destruída após uma guerra liderada pelos Estados Unidos durante 13 anos.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia