Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 07 Março |
home iconAtualidade
line break icon

Guerra contra extremistas: maus cristãos contra maus muçulmanos?

Alonzo-Harris

Tom Hoopes - publicado em 16/09/14

Precisamos avaliar as críticas que cada lado faz ao outro

Diga-me a quem você acha que a seguinte frase se refere e eu direi se você vive num país muçulmano ou num país de origens cristãs.

“Trema de medo: uma sociedade amante da violência, cujos líderes professam todos a mesma religião, está convencida de que todo o mundo deve acreditar nas mesmas coisas e se comportar do mesmo jeito que eles, o que inclui tolerar o assassinato de crianças em prol do cumprimento dos seus objetivos”.

Se você disse: "Essas palavras, evidentemente, se referem ao Estado Islâmico e às suas ideias de estabelecer um sistema cruel de sharia no mundo todo", você vive num país ocidental dirigido por uma cultura de origens cristãs. Talvez os Estados Unidos, ou a Alemanha, ou o Brasil.

Se você disse: "Essas palavras, evidentemente, se referem ao mundo ocidental, cuja mídia espalha violência e imoralidade e cujo dinheiro espalha o aborto pelo mundo todo", você vive num país muçulmano. Talvez o Paquistão, ou a Indonésia, ou Serra Leoa.

Em qualquer dos dois casos, você está certo e errado ao mesmo tempo. Neste momento de crise, é importante avaliarmos as críticas que cada lado faz ao outro.

Consideremos, em primeiro lugar, o Estado Islâmico (EI). Durante um discurso da última quarta-feira, o presidente norte-americano Barack Obama disse que o "EI não é ‘islâmico’". Este é, provavelmente, um exagero, mas a natureza não-religiosa do terrorismo jihadista se tornou bem clara desde que ficamos sabendo como ​​os sequestradores de aviões do Onze de Setembro passaram os seus últimos dias na terra.

Mehdi Hasan destacou no New Statesman há algumas semanas: "Em 2008, uma nota informativa sobre a radicalização, elaborada pela unidade de ciência comportamental do MI5, acabou vazando e foi publicada pelo jornal The Guardian. A nota revelava que, ‘longe de ser fanáticos religiosos, um grande número de pessoas envolvidas no terrorismo não praticam a fé de modo regular. Muitos deles não têm formação religiosa alguma. Poderiam ser considerados, na realidade, como novatos religiosos’. Os analistas concluíram que ‘uma identidade religiosa bem estabelecida realmente protege contra a radicalização violenta’, publicou o jornal".

Então, se não é a fé o que motivar os jihadistas, o que é?

Hasan listou: "A indignação moral, a insatisfação, a pressão dos companheiros, a busca de uma nova identidade, de um sentido de pertença e de propósito". Estes são, estranhamente, os mesmos motivos atribuídos muitas vezes aos assassinos do colégio Columbine, Dylan Klebold e Eric Harris (que, também estranhamente, imaginaram um ataque ao estilo Onze de Setembro).

Mas o EI está claramente entusiasmado com o islã, não está?

Andrew Salzmann, no Small Wars Journal, descreve que certas narrativas históricas se agigantam na mente dos membros do EI e se tornam um quadro de referência para eles, não porque a sua humildade seja grande diante de Alá Todo-Poderoso, mas porque o imaginário islâmico alimenta os seus próprios egos poderosos. Por isso, "o EI precisa sofrer uma derrota humilhante", escreve Salzmann.

Em paralelo, esses muçulmanos laicos, com o seu imaginário histórico, são confrontados por cristãos laicos, com o seu imaginário niilista.

São João Paulo II foi profético em seu discurso na Jornada Mundial da Paz de 2001 ao dizer que o imperialismo cultural ocidental punha o mundo em risco de guerra. O "ateísmo prático" e o "individualismo radical" do Ocidente avassalavam culturas do mundo todo, disse ele.

“Este é um fenômeno de grandes proporções, sustentado por campanhas poderosas de mídia… Uma visão de mundo abrangente, que corrói por dentro outras culturas ​​e civilizações estimáveis. Os modelos culturais ocidentais são atraentes e sedutores devido à sua elevada conotação científica e técnica, mas, lamentavelmente, há uma crescente evidência do seu profundo empobrecimento humano, espiritual e moral” (nº 9).

  • 1
  • 2
Tags:
Estado IslâmicoMuçulmanosMundo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
MIRACLE
Maria Paola Daud
Mateo se perdeu no mar… e apareceu nos braços do pai
2
MADONNA
Maria Paola Daud
A curiosa imagem da Virgem Maria protetora contra o coronavírus
3
Reportagem local
Santo Sudário, novo estudo: “Não é imagem de morto, mas de ...
4
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
10 coisas sobre São José que você precisa saber
5
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
6
Santo Sudário
Aleteia Brasil
Manchas do Santo Sudário são do sangue de alguém que sofreu morte...
7
BABY BORN
Reportagem local
Bebê “renasce” após ser batizado por uma médica
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia