Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 26 Novembro |
São Silvestre Guzzolini
home iconAtualidade
line break icon

Decapitação de refém francês na Argélia gera comoção mundial

<p>(Arquivo) O guia Hervé Gourdel</p>

Agências de Notícias - publicado em 25/09/14

O guia francês de montanhismo na Argélia Hervé Gourdel, de 55 anos, fora sequestrado no domingo

A decapitação de um refém francês na Argélia, cometida por um grupo ligado ao Estado Islâmico (EI), provocou comoção mundial nesta quarta-feira.

O guia francês de montanhismo na Argélia Hervé Gourdel, de 55 anos, foi sequestrado no domingo. Hoje, o grupo jihadista Jund al-Khilafa divulgou um vídeo intitulado "Mensagem de sangue para o governo francês", mostrando sua decapitação.

Na segunda-feira, o grupo ameaçou matar Gourdel, se o governo francês não renunciasse "em 24 horas" a seus ataques aéreos no Iraque. O ultimato foi rejeitado no dia seguinte pelo presidente francês, François Hollande.

Em Nova York, Hollande condenou nesta quarta o assassinato "cruel e covarde" de Gourdel, ressaltando que o episódio reforça sua "determinação" de lutar contra o grupo.

"Nosso compatriota Hervé Gourdel foi assassinado por um grupo terrorista de forma covarde, cruel e vergonhosamente", declarou o presidente francês, que participa nos Estados Unidos da Assembleia Geral da ONU.

No mesmo discurso, ele condenou "um crime odioso, cujos autores devem ser punidos".

A França "passa por uma prova", mas "nunca cede à chantagem", garantiu o presidente.

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, reagiu em sua conta no Twitter. "Terror diante da barbárie. Apoio de toda a Nação à família de Hervé Gourdel. A França não cederá jamais", escreveu.

O Conselho francês do Culto Muçulmano (CFCM), que representa a primeira comunidade muçulmana da Europa, disse estar "horrorizado" e denunciou "um crime bárbaro".

"O CFCM se une à dor da família e ao conjunto da Nação (francesa) diante de um crime que merece somente uma punição exemplar pela justiça de Deus e dos homens", de acordo com uma nota lida por telefone para a AFP.

As reações se multiplicaram em todo o espectro da política francesa, da esquerda à direita. No Parlamento, os congressistas cerraram fileiras para apoiar o compromisso da França no Iraque contra os jihadistas do EI, pouco antes do anúncio da execução.

Em Nice (sul), na frente da casa de Gourdel, familiares, vizinhos e curiosos estavam em choque. Na prefeitura, a bandeira foi hasteada a meio pau nesta quarta.

"Eu estava muito preocupado. Choro há dois dias. Eu temia que esse novo grupo jihadista quisesse marcar uma posição", desabafou Patrick, vizinho e amigo de Hervé Gourdel. "O governo não tinha necessidade de colocar suas posições dessa maneira", completou.

‘Assassinato bárbaro’

A União Europeia condenou um "assassinato bárbaro" e se declarou "mais unida do que nunca" para apoiar a luta contra os "grupos terroristas".

"O assassinato bárbaro do cidadão francês Hervé Gourdel é uma afronta aos valores e aos direitos universalmente reconhecidos", afirmou o porta-voz da chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, em nota divulgada nesta quarta.

Nos Estados Unidos, o presidente americano, Barack Obama, manifestou a solidariedade de seu país com a França.

"Estamos com vocês e com o povo francês, nesse momento em que vocês enfrentam essa terrível perda e que vocês estão de pé contra o terror para defender a liberdade", declarou Obama, dirigindo-se ao presidente Hollande, na reunião do Conselho de Segurança da ONU dedicada à luta contra o fenômeno dos jihadistas estrangeiros.

O governo argelino também denunciou o assassinato como um ato "odioso" e "abjeto".

"Desde o sequestro (no domingo) do cidadão francês, as autoridades argelinas mobilizaram todas as energias e todos os recursos humanos e materiais para libertar o refém", anunciou o governo em uma nota.

A Argélia reiterou sua "determinação de continuar (sua) luta contra o terrorismo sob todas as suas formas e garantir a proteção e a segurança de todos os cidadãos estrangeiros presentes em seu território".

(AFP)

Tags:
MundoTerrorismo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Confissão não é para contar problemas, mas para contar pecados
Pe. Gabriel Vila Verde
Confissão não é para contar problemas, mas pa...
RED WEDNESDAY
Reportagem local
Perseguição aos cristãos no mundo é denunciad...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia