Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 23 Novembro |
Santo Anfilóquio
home iconAtualidade
line break icon

Fiéis em Meca condenam jihadistas mas desconfiam da coalizão

<p>Os peregrinos denunciam em Meca as atrocidades cometidas pelos jihadistas do Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria, mas desconfiam da campanha militar dirigida por Washington contra o grupo</p>

AFP - publicado em 30/09/14

"O Islã não tem nada a ver com as ações do Estado Islâmico", afirma Alan Abdullah, um peregrino curdo iraquiano

Os peregrinos denunciam em Meca as atrocidades cometidas pelos jihadistas do Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria, mas desconfiam da campanha militar dirigida por Washington contra o grupo.

"O Islã não tem nada a ver com as ações do Estado Islâmico", afirma Alan Abdullah, um peregrino curdo iraquiano, que classifica esta organização extremista de vírus que ameaça o mundo inteiro.

O EI, que controla grandes territórios entre Síria e Iraque, é acusado de massacres e atrocidades contra soldados e civis. Além disso, reivindicou a decapitação de dois jornalistas americanos e de um agente humanitário britânico.

Centenas de milhares de peregrinos seguiam se reunindo nesta terça-feira em Meca para o Hajj, ou peregrinação anual.

A Arábia Saudita forma parte da coalizão internacional dirigida pelos Estados Unidos que realiza ataques aéreos desde a semana passada contra o EI na Síria. Os combatentes curdos também se mobilizaram contra os jihadistas.

"O EI comete atos terroristas decapitando pessoas e criando desordem", afirma outro peregrino curdo em Meca, Shawkat Ahmed Qader. "O Islã está longe de suas ações e crenças", acrescenta este homem de 50 anos, que lamenta a situação vivida pelo Curdistão.

"Temos por um lado (os jihadistas) do EI e por outro aviões americanos que os bombardeiam. Queremos segurança", afirma.

Um peregrino sírio da região de Aleppo, que chegou a Meca proveniente da Turquia, onde se refugiou há alguns meses, critica a coalizão dos Estados Unidos, que levou três anos para intervir após o início da guerra.

"Esperávamos que uma coalizão colocasse fim à opressão contra o povo sírio e não se limitasse a atacar apenas o EI e outros grupos", declarou Mohamed, visivelmente nervoso. Ele prefere não fornecer seu sobrenome.

Na semana passada, o emir do Catar, cujo país forma parte da coalizão, afirmou que o objetivo no curto prazo era eliminar os movimentos extremistas, mas insistiu que é preciso no longo prazo punir o regime do presidente sírio Bashar al-Assad.

Islã não é fanatismo

Em Meca, Petra, uma francesa que se chama Nur desde sua conversão à religião muçulmana diz que o Islã no qual acredita "não é um Islã fanático".

Quando é perguntada sobre os bombardeios da coalizão, esta mulher, vestida com uma abaya (túnica) preta e com um véu branco que cobre seu cabelo loiro, é muito crítica.

"É inadmissível", afirma. "Tentam nos fazer acreditar em coisas que não correspondem necessariamente à realidade", acrescenta, lembrando o exemplo do Iraque em 2003, quando os Estados Unidos intervieram alegando a presença de armas de destruição em massa.

Segundo ela, "atualmente há uma vontade de fazer com que as pessoas temam o Islã". Ela reconhece que oculta sua religião em suas atividades profissionais. "É impossível, se usar o véu não posso trabalhar", confessa.

E conclui: "o Islã como era vivido na época do profeta ão tem nada a ver com o que nos fazem acreditar hoje".

Um comentário que desperta aprovação e sorrisos entre os demais peregrinos franceses.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
ŚWIĘTA TERESA WIELKA
Philip Kosloski
Oração de Santa Teresa de Ávila para acalmar ...
IOTA
Lucía Chamat
Imagem da Virgem resiste a furacão que devast...
EL TOCUY
Aleteia Brasil
Pe. Gabriel Vila Verde: há muita diferença en...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Atenção: versão falsa e satânica da Medalha M...
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vez...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia