Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

EUA reconhecem que apenas ataques aéreos não destruirão EI

<p>Imagem de avião norte-americano US Air Force B-1B, antes de ataque aéreo na Síria, em 29 de setembro de 2014</p>

AFP - publicado em 01/10/14

"Ninguém disse que isto seria fácil e rápido, e ninguém deve alentar uma falsa sensação de segurança pelos ataques aéreos efetivos"

As forças americanas não poderão destruir o Estado Islâmico (EI) apenas com ataques aéreos, advertiu nesta terça-feira o porta-voz do Pentágono, contra-almirante John Kirby, ao pedir paciência diante da atual campanha para derrotar os jihadistas na Síria e no Iraque.

"Ninguém disse que isto seria fácil e rápido, e ninguém deve alentar uma falsa sensação de segurança pelos ataques aéreos efetivos", disse o almirante Kirby. "Não podemos apenas bombardeá-los para fazê-los desaparecer".

Kirby conversou com a imprensa uma semana após Washington iniciar os ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria, com dezenas de bombardeios realizados por aviões americanos e árabes.

Os ataques visaram refinarias controladas pelo EI, tanques, artilharia e prédios, mas os jihadistas continuam avançando em algumas áreas, inclusive sobre uma ampla faixa na fronteira entre Síria e Turquia.

"Do mesmo modo que compartilhamos o sentido de urgência contra este grupo, também devemos compartilhar o sentido de paciência estratégica sobre toda a operação, e acredito que tem faltado isto".

Os combatentes do EI já não se deslocam em grandes grupos e se "dispersam" para evitar os ataques aéreos, mas isto não significa "que tenham parado de tentar e, em alguns casos, conseguir ocupar e manter posições", disse o almirante Kirby.

"Somos realmente honestos sobre o fato de que apenas a ação militar aérea não terá sucesso, mas isto não deve ser entendido como uma admissão de ineficiência".

"Uma indicação de que estamos influenciando é exatamente a mudança de tática dos terroristas devido aos ataques aéreos", destacou o almirante.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
4
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
5
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
6
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
7
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia