Aleteia

O cristianismo pode ser para nós uma mera ideologia?

© Rawpixel/SHUTTERSTOCK
Compartilhar

Isso acontece quando deixamos de lado o Cristo vivo e colocamos em seu lugar um férreo moralismo, um projeto político ou algo parecido

 
É preciso voltar uma e outra vez ao Sacrário para agradecer pelo dom da fé, pelo dom da vida, por essa Graça que faz o mundo transcender. Precisamos voltar a Ele constantemente. Talvez não sejamos grandes santos; com certeza, a magnitude das nossas proclamas ideológicas são apenas um papel vazio, um protocolo de instruções insípido que situamos diante dos nossos olhos porque pensamos que a cegueira nos protege de cair.
 
É possível que sintamos certa silenciosa repugnância ao observar nossa imagem no espelho, mas podemos aceitar o que somos, sem resignação e inclusive com alegria, porque assim, como fomos feitos, fomos feitos para Ele. Ele vai nos amar e nos ama, nos acolhe e nos respeita, em todos e cada um dos momentos da nossa vida. Em todos e cada um.
 
É mentira que o cristão caminha pelas ruas todos os dias com um sorriso hipócrita e palhaço, e sem dúvida não pode oferecer aos outros mais que sua frágil humanidade. No entanto, sabe que, por meio dela, e não pelos seus méritos ou seus altos ideais ou qualidades morais, transmite a única esperança dos homens.

Boletim
Receba Aleteia todo dia