Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 24 Novembro |
Santas Flora e Maria
home iconAtualidade
line break icon

Turquia promete ajudar curdos que enfrentam jihadistas

<p>(Arquivo) O premier turco, Ahmet Davutoglu</p>

AFP - publicado em 03/10/14

A tomada de Kobane, onde ainda permanecem milhares de civis, permitiria ao EI controlar uma faixa de território ininterrupta na fronteira com a Turquia

Os curdos travavam nesta sexta-feira combates violentos com o grupo Estado Islâmico (EI) perto da cidade síria de Kobane, que a Turquia prometeu defender fazendo o que puder para impedir que a mesma caia nas mãos dos jihadistas.

"Não queremos que Kobane caia. Faremos o que for possível para que Kobane não caia", disse o primeiro-ministro turco, Ahmed Davutoglu.

Uma espessa fumaça era observada sobre a cidade de maioria curda do norte da Síria, e os disparos de morteiros se sucediam, constatou a AFP a partir da fronteira turca, a poucos quilômetros de distância.

Apesar do avanço constante dos jihadistas, não há informações de que a coalizão dirigida pelos Estados Unidos tenha intensificado os bombardeios.

O último comunicado do comando americano informa sobre quatro ataques na quarta e quinta-feira na Síria, um deles perto de Kobane, com a ajuda dos Emirados Árabes Unidos.

Há vários dias os jihadistas se aproximaram pelo sul, leste e sudeste de Kobane, defendida com dificuldades por combatentes curdos que são inferiores em número e armamento.

Segundo o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahman, "os combates prosseguiram durante toda a noite e nesta manhã" na linha de frente, situada a dois quilômetros de Kobane, chamada Ain al-Arab em árabe.

As Unidades de Proteção do Povo (YPG, principal milícia curda) destruíram dois veículos blindados do EI a menos de dois quilômetros de Kobane, acrescentou.

Idris Nahsen, um dirigente local curdo, afirmou à AFP que as YPG destruíram um tanque do EI a 4 km da cidade, gerando uma espessa fumaça negra visível desde a fronteira.

"Desde o dia 16 de setembro, defendemos Kobane. Estamos sozinhos. Pedimos à comunidade internacional que se una a nós nesta batalha contra o terrorismo e nos forneça armas e munições", disse.

Os curdos são massacrados

"É um massacre cometido diante dos olhos do mundo inteiro", afirmou outra testemunha, Burhan Atmaca. "O mundo permanece em silêncio enquanto os curdos são massacrados", denuncia.

O EI lançou no dia 16 de setembro um ataque contra a cidade, assumindo o controle de quase 70 vilarejos e provocando a fuga de pelo menos 160.000 pessoas para a Turquia, por medo das atrocidades cometidas por este grupo jihadista.

Esta organização, que conta com dezenas de milhares de homens, muitos deles recrutados no exterior, controla zonas no norte e no leste da Síria, um país devastado por mais de três anos de guerra civil. Além disso, ocupa extensos territórios no vizinho Iraque.

A tomada de Kobane, onde ainda permanecem milhares de civis, permitiria ao EI controlar uma faixa de território ininterrupta na fronteira com a Turquia.

Diante da ameaça, o Parlamento turco autorizou na quinta-feira operações militares contra o EI no Iraque e na Síria dentro da coalizão internacional integrada por 50 países. Também autorizou a mobilização de tropas estrangeiras em seu território.

Austrália se une aos bombardeios

A Austrália se converteu nesta sexta-feira no último país a se unir aos bombardeios aéreos contra o EI no Iraque.

Na luta contra o EI, os Estados Unidos querem acompanhar os bombardeios com outras duas medidas: reforçar o exército iraquiano e a rebelião síria moderada que luta contra o regime de Bashar al-Assad, considerado ilegítimo, e contra os jihadistas.

Os jihadistas do EI são acusados de crimes contra a humanidade no califado que proclamaram nas regiões sob seu controle (estupros, sequestros, execuções e crucificações) e os países ocidentais temem que cometam atentados em seus territórios.

Tags:
Mundo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Medalha de São Bento
pildorasdefe.net
Oração a São Bento para afastar o mal e pedir...
Reportagem local
Oração para afastar o mal de um recinto
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
AGNUS DEI,LAMB
Jesús Colina
Ninguém consegue ouvir este “Agnus Dei” sem s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia