Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 03 Março |
Santa Cunegundes
home iconReligião
line break icon

Você vai se surpreender com as pessoas que encontrará no céu!

James Tissot c. 1890 - Wikipedia

Canonry of St. Leopold - publicado em 04/10/14

As ações valem mais do que as palavras, mas o cristão tem que dizer "sim" e ser coerente com ele

Na primeira missa de uma terça-feira aparentemente igual a todas as outras, no seminário, bem cedinho da manhã, um venerável e gentil sacerdote começou a sua homilia, breve e marcante, recitando uma lista. Era uma lista surpreendente, que simplesmente ia citando todo tipo de pessoas. Pessoas de diferentes grupos étnicos e nacionalidades, de vários estilos de vida, de diversas ocupações e hábitos, uma após a outra. Mas, para descrevê-las, a lista citava de forma sucinta apenas epítetos raciais e nacionais dos mais vulgares, chocantes, politicamente incorretos e socialmente inaceitáveis. Estávamos todos, de repente, muito bem acordados; aquele, sem dúvida alguma, não era um início comum para uma homilia.

Os altos padrões de qualidade deste site, além do bom gosto, me impedem de reproduzir os termos citados naquela homilia, mas imagino que você já ouviu a maioria deles, se não todos, em algum lugar (menos numa homilia, provavelmente).

Depois de ter listados todos aqueles termos inusitados, o padre simplesmente declarou: "Você vai se surpreender com as pessoas que encontrará no céu".

Pronto. Você já pode imaginar qual foi o assunto de todo mundo no café da manhã daquele dia.

Embora eu não recomende essa “abordagem retórica” para outros sacerdotes, o fato é que eu nunca me esqueci daquela homilia, nem depois de tantos anos. E nunca me esqueci do choque brutal que aquela homilia me causou. O evangelho é mesmo para confortar os aflitos e para afligir quem está acomodado!

Isto é exatamente o que o próprio Senhor fez quando se atreveu a dizer aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos que os cobradores de impostos e as prostitutas entrariam no reino de Deus antes que eles.

E apesar de Jesus não ter chegado a usar de insultos raciais para enfatizar as suas proposições, dificilmente poderemos imaginar o quanto era escandaloso, ofensivo e rude, naquela sociedade, ser chamado de cobrador de impostos ou de prostituta, especialmente se você era um dos “mocinhos” da sociedade, por assim dizer: os sacerdotes, os anciãos, os que faziam o que era de se esperar que fizessem.

Para piorar a situação, aquele arrivista presunçoso, aquele autoproclamado rabino (com certo sopro de blasfêmia, do ponto de vista de muitos da época), tinha apenas levado os sacerdotes e os anciãos a caírem numa armadilha brilhante, a mesma armadilha em que muitas vezes nós mesmos caímos. "Que filho", perguntou-lhes, "fez a vontade do Pai? Aquele que disse ‘sim’, mas não foi, ou aquele que disse ‘não’, mas no final acabou indo trabalhar no campo?". O que Ele estava perguntando a eles (e a nós), no fundo, era "qual filho você é?".

Eles, é claro, sendo inteligentes, disseram a óbvia e correta resposta: "Aquele que foi para o campo, mesmo tendo dito que ‘não’". E com isso, eles se denunciaram!

Na sua autojustiça (uma doença a que nós também somos suscetíveis), eles se viam como os filhos (de Abraão, pertencentes assim a Deus) que dizem "sim!", que diziam "sim" em tudo o que faziam, guardando a lei, orando e jejuando (coisas, aliás, muito boas). E eles achavam que isso era suficiente.

Mas, na parábola, o filho que diz "sim" não é o que faz a vontade do pai (ou do Pai). Ele não vai para o campo. Ir para o campo significa seguir a Cristo. Mas antes que se possa seguir a Cristo, é preciso, como o filho que disse "não", mudar de postura. A Escritura nos diz que "ele depois mudou de ideia" (o que também poderia ser sinônimo de "arrependeu-se"); há, naturalmente, um sentido mais profundo nesta frase: o de uma conversão, o de um ponto de virada.

E é por isso que os publicanos, as prostitutas e muitos outros

  • 1
  • 2
Tags:
PecadosalvacaoValores
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
2
missionárias mártires iêmen
Reportagem local
A corajosa última oração destas 4 freiras antes de serem mortas p...
3
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
10 coisas sobre São José que você precisa saber
4
Kathleen N. Hattrup
O homem que beijou a testa do Papa diz que se curou em Lourdes
5
HOLY FAMILY
Philip Kosloski
A antiga oração a São José que é “conhecida por nunca ter falhado...
6
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da missa
7
PRAYER
Desde la Fe
Coisas que você não deve fazer na Missa e talvez não saiba
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia