Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 26 Fevereiro |
Santo Alexandre
home iconAtualidade
line break icon

Kailash Satyarthi ganha Nobel da Paz por trabalho contra exploração infantil

<p>Satyarthi comemora o anúncio em casa, em Nova Délhi</p>

AFP - publicado em 10/10/14

Nascido em 11 de janeiro de 1954, Satyarthi está na linha de frente, há 30 anos, nas ações contra o trabalho e a exploração infantis

O indiano Kailash Satyarthi, premiado nesta sexta-feira com o Nobel da Paz, ao lado da paquistanesa Malala Yousafzai, já ajudou dezenas de milhares de crianças que eram tratadas como escravos por empresários e donos de terra a recuperar a liberdade.

Nascido em 11 de janeiro de 1954, Satyarthi está na linha de frente, há 30 anos, nas ações contra o trabalho e a exploração infantis em seu país, onde a prática é comum.

Satyarthi, natural do estado indiano de Madhya Pradesh e engenheiro de formação, lidera a organização Global March Against Child Labor (Marcha Global contra o trabalho Infantil), um conjunto de 2.000 grupos sociais presente em 140 países.

O vencedor do Nobel da Paz vive de maneira modesta e sempre manteve a discrição, inclusive em seu país.

"Agradeço ao comitê Nobel por este reconhecimento do sofrimento de milhões de crianças", disse o premiado, antes de afirmar que estava "encantado" com a notícia, segundo a agência Press Trust of India (PTI).

Ele atribuiu sua vitória à "viva e vibrante" democracia da Índia.

Ao falar sobre a organização Global March Against Child Labor, Satyarthi celebrou: "Algo que nasceu na Índia cresceu e agora é um movimento mundial contra o trabalho infantil", declarou.

Tráfico de famílias

Satyarthi iniciou o trabalho social com denúncias contra as fábricas e empresas que utilizam o trabalho de menores de idade.

Ele conseguiu libertar famílias inteiras que eram obrigadas a trabalhar para pagar empréstimos. Exploradas e incapazes de pagar as dívidas, as famílias são geralmente vendidas para outros patrões.

O ativista também convocou várias manifestações não violentas contra a exploração infantil, seguindo a "tradição de Gandhi", como destacou o comitê Nobel ao justificar o prêmio.

Em 2007, Satyarthi organizou uma passeata de milhares de quilômetros contra o tráfico de crianças ao longo da fronteira da Índia com os vizinhos asiáticos.

O presidente do comitê Nobel norueguês, Thorbjoern Jagland, recordou que, segundo cálculos, 168 milhões de crianças trabalham no mundo atualmente.

"Em 2000 eram 78 milhões a mais. O mundo se aproxima do objetivo de erradicar o trabalho infantil", disse Jagland.

"O trabalho infantil é ilegal e imoral", afirma o próprio Satyarthi no site de sua organização.

"Se não agora, então quando? Se não você, então quem? Se somos capazes de responder a estas perguntas fundamentais, então talvez possamos acabar com a mácula da escravidão humana", afirma Satyarthi.

O ativista também fundou a RugMark, organização muito conhecida no cenário internacional que "etiqueta" os tapetes produzidos no país sem o uso de trabalho infantil.

Satyarthi afirma que sua consciência social despertou quando, aos sete anos, viu uma criança de sua idade, na porta do colégio, ajudando o pai a lustrar sapatos.

Ao observar muitas crianças trabalhando, ao invés de frequentar a escola, Satyarthi percebeu que era urgente resolver o problema, o que o estimulou a abraçar a causa.

Ao premiar Satyarthi e Malala, de 17 anos, o Comitê Nobel fez um elogio ao combate de ambos contra a exploração das crianças e dos jovens, além de ressaltar o direito de todas as crianças à educação.

O próprio premiado encara desta maneira a sua missão, como contou em uma entrevista recente ao Centro Kennedy: "É como um teste. É um exame moral que temos que superar, o de nos opormos a tais injúrias sociais".

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Eucaristia
Reportagem local
Diocese afasta padre que convidou pastor para “concelebrar&...
2
Padre Paulo Ricardo
Nossos tempos são os últimos? A Irmã Lúcia responde
3
OPERA SINGER
Cerith Gardiner
Cantora de ópera faz apresentação incomum e homenageia Maria e as...
4
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
5
DOMINIKANIN, SZCZEPIONKA COVID
Jesús V. Picón
Padre desenvolve vacina contra Covid-19 para os pobres
6
SPANISH FLU
Philip Kosloski
Os poderosos conselhos do Padre Pio durante uma pandemia na Itáli...
7
HOLY FAMILY
Philip Kosloski
A antiga oração a São José que é “conhecida por nunca ter falhado...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia