Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 24 Julho |
home iconAtualidade
line break icon

Revista online do grupo Estado Islâmico faz ameaças aos “cruzados romanos”

© Baqiya Media

Greg Daly - publicado em 19/10/14

“Não há nada de medieval nesta mistura de empresa implacável, selvageria propagandeada e organização criminosa transnacional”

Nesta semana, descobriu-se que policiais e soldados britânicos estão na lista de alvos de uma célula do grupo terrorista Estado Islâmico baseada na Grã-Bretanha. De quebra, o grupo extremista lançou mais um vídeo, o quarto até agora, “protagonizado” pelo seu refém John Cantlie, jornalista inglês sequestrado em novembro de 2012 juntamente com o já executado jornalista norte-americano James Foley.

Vestindo o macacão alaranjado semelhante aos uniformes dos presidiários de Guantánamo, que já se tornou praticamente uma “marca registrada” dos reféns deste grupo terrorista, Cantlie declarou de frente para uma câmera que as potências ocidentais estão se preparando para uma terceira guerra do Golfo e acrescentou que o Estado Islâmico (EI) vem crescendo a tal ponto que "nem sequer o exército norte-americano, que é a polícia do mundo, será capaz de contê-lo".

Cantlie manda, no vídeo, uma aparente resposta aos líderes muçulmanos que condenaram o EI como “organização herética e assassina”. Ele afirma: “Aqueles que leram o alcorão, inclusive os cristãos, sabem que existe apenas uma sharia; não existem ramos diferentes".

Imagina-se que Cantlie esteja se pronunciando sob coação, mas, na última edição da revista online “Dabiq”, uma publicação digital de propaganda do EI, o refém afirma que as suas palavras são dele mesmo. Uma observação feita com frequência, escreve ele, "é a de que os vídeos seguem um ‘script’ e que talvez eu não tenha escolha quanto ao seu conteúdo".

"Mas isto", prossegue ele no artigo, "não é verdade. Os ‘mujahidin’ [combatentes islâmicos, ndr] sugerem temas iniciais, eu escrevo os roteiros, entrego a eles para fazerem os ajustes necessários e depois os vídeos são filmados. É tudo muito rápido: os oito primeiros vídeos foram escritos, aprovados e filmados em apenas 12 dias. Os mujahidin são assim: eles fazem rápido cada trabalho e passam para a próxima tarefa".

O fato de que o grupo terrorista Estado Islâmico publique uma revista online pode parecer bizarro, mas mostra, como observou o filósofo John Gray na BBC em julho, o quanto este fenômeno é peculiarmente moderno: é uma seita milenarista violenta, “que se dedica à construção de uma nova sociedade a partir do zero”, e que tem mais em comum com os movimentos revolucionários modernos do que com os seus antepassados ​​medievais. “Não há nada de medieval”, diz ele, “nesta mistura de empresa implacável, selvageria bem propagandeada e organização criminosa transnacional”.

Infelizmente, o EI parece pensar de outro modo. Andrew Salzmann, da Universidade Beneditina, argumenta no “Small Wars Journal” que o EI parece "reencenar os primórdios do islã para tentar estabelecer a sua legitimidade entre os povos do Oriente Médio". Salzmann diz que o crescimento do EI tem apresentado características comumente reconhecidas do surgimento do islã, emulando o estilo de guerra de Maomé. "Embora a estratégia militar não seja um ‘artigo de fé’, a sharia fundamenta a sua própria validade na crença de que as ações do profeta Maomé, precisamente por causa da sua excelência em obedecer a Deus, merecem ser imitadas pelos seus seguidores".

Parece fazer sentido, assim, que o nome da revista do EI tenha sido inspirado por um “hadith”, ou ditado tradicional muçulmano, que proclama que "a última hora não virá até que os romanos tenham chegado a al-Amaq ou Dabiq", geralmente identificada com a cidade de Dabiq, no norte da atual Síria.

A revista “Dabiq” está repleta de referências a Roma e aos cruzados. Em vários pontos, ela cita um discurso do porta-voz oficial do EI, o xeque Abu Muhammad al-‘Adnānī ash-Shami, que exorta os combatentes a "estarem prontos para a campanha final dos cruzados", ao mesmo tempo em que proclama ao Ocidente: "Nós vamos conquistar a sua Roma, destruir as suas cruzes e escravizar as suas mulheres com a permissão de Alá, o Altíssimo". Como ilustração desse texto, uma imagem da Praça de São Pedro traz a legenda “Vamos conquistar a sua Roma”. A capa da revista, com a manchete "A cruzada fracassada", mostra um obelisco da Praça de São Pedro editado digitalmente, com a bandeira negra do Estado Islâmico tremulando em seu topo.

  • 1
  • 2
Tags:
Estado IslâmicoMundoPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
Atriz Claudia Rodrigues
Reportagem local
Assessora pede orações por atriz Claudia Rodrigues: “está m...
6
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
7
Orfa Astorga
Até que idade é saudável morar na casa dos pais?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia