Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 27 Fevereiro |
Santa Honorina
home iconAtualidade
line break icon

“Sem lugar para reclinar a cabeça”: o futuro incerto dos cristãos do Iraque

Malteser International

John Burger - publicado em 21/10/14

O mundo precisa decidir: vamos ajudá-los a suportar o inverno ou vamos reassentá-los em outro país?

Dezenas de milhares de refugiados no norte do Iraque se preparam para enfrentar o inverno em tendas de campanha ou em prédios inacabados.

Organizações de ajuda humanitária, governos regionais e ONGs estão fazendo o que podem para manter os desabrigados aquecidos, saudáveis e bem alimentados, mas a tarefa é gigantesca e a crise humanitária é cada vez mais real.

"A situação é terrível e não vai melhorar tão cedo. Está piorando, aliás. As pessoas precisam desesperadamente de ajuda e o governo do Iraque não tem ajudado de forma alguma", diz Joseph T. Kassab, fundador e presidente do Iraqi Christians Advocacy and Empowerment Institute, sediado nos Estados Unidos. "O inverno é cruel no Iraque. E tem muita gente vivendo em abrigos ou a céu aberto".

Joseph é irmão do bispo Jibrael Kassab, da Igreja Caldéia da Austrália e da Nova Zelândia, e foi, ele próprio, um refugiado iraquiano na década de 1980.

Estima-se que haja 120 mil refugiados cristãos em Erbil, a capital dos curdos iraquianos, vivendo em escolas, igrejas, mosteiros e parques depois de terem sido obrigados a deixar as suas casas em Mossul e em outras cidades da planície de Nínive, durante o último verão, pelas forças brutais do grupo terrorista Estado Islâmico.

Natalia Prokopchuk, porta-voz no Iraque do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), descreveu diversos projetos que o ACNUR vem implementando para ajudar os desabrigados internos a enfrentarem o inverno, o que inclui a distribuição de cobertores e de aquecedores a querosene. "Também estamos impermeabilizando e isolando para o inverno as paredes e o piso das tendas onde as pessoas estão morando", informou ela.

Mas os recursos limitados só permitem que a agência ajude a metade dos desabrigados. Mediante a construção de abrigos, a prestação de cuidados médicos e a oferta de financiamentos, também há várias agências católicas ajudando na região: a Caritas, a Ajuda à Igreja que Sofre, a Associação Católica para o Bem-Estar do Oriente Próximo, os Cavaleiros de Colombo e a Malteser International, além de organizações iraquiano-americanas como o Conselho de Socorro aos Cristãos Iraquianos. Juliana Taimoorazy, fundadora e presidente desta última entidade, conta que a organização tem apresentado pedidos a empresas dos Estados Unidos para que elas doem medicamentos e produtos de higiene de primeira necessidade aos refugiados.

Por causa da escassez de medicamentos, há pessoas morrendo de doenças cardíacas e diabetes, afirma Taimoorazy, ela própria uma cristã assíria que encontrou asilo no Ocidente durante a década de 1980.

A Malteser International, agência de ajuda da Ordem de Malta, está montando um centro de atendimento primário de saúde em um dos dois campos do ACNUR, em construção entre Dohuk e Zakho, no norte da região, onde as temperaturas de inverno podem cair para 5 graus. "Eu estive em Dohuk e vi famílias morando em edifícios que ainda estão em construção, sem paredes", relata o coordenador de emergências da Malteser, Leigh Ryan, que acaba de voltar de um período de dois meses na região.

No entanto, mesmo que os deslocados internos sobrevivam ao inverno com a ajuda necessária, a questão que permanece viva na mente dos refugiados e das pessoas que os ajudam é: "Será que os cristãos ainda têm um futuro no Iraque?".

"Eles estão muito traumatizados. Eu nunca vi um povo tão deprimido", afirma o padre Andrzej Halemba, chefe da seção Ásia-África da organização Ajuda à Igreja que Sofre. O sacerdote visitou Erbil recentemente e relata: "Eles dizem: ‘Os cristãos não têm futuro aqui. É o fim, nós não vamos sobreviver’".

  • 1
  • 2
Tags:
MundoPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
2
Eucaristia
Reportagem local
Diocese afasta padre que convidou pastor para “concelebrar&...
3
OPERA SINGER
Cerith Gardiner
Cantora de ópera faz apresentação incomum e homenageia Maria e as...
4
PRAYER
Desde la Fe
Coisas que você não deve fazer na Missa e talvez não saiba
5
RECONSTRUCTED CHRIST
Lucandrea Massaro
Assim era Jesus: o misterioso Homem do Sudário, reconstruído em 3...
6
HOLY FAMILY
Philip Kosloski
A antiga oração a São José que é “conhecida por nunca ter falhado...
7
MEXICO
Pablo Cesio
México: homem chega à própria missa de corpo presente
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia