Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 25 Fevereiro |
Beato Sebastião Aparício
home iconEstilo de vida
line break icon

Qual foi a contribuição do cristianismo para a ética médica?

@DR

Aleteia Vaticano - publicado em 22/10/14

Entenda o importante passo dado da ética médica à bioética

Nas últimas décadas, temos ouvido cada vez com mais frequência o termo “bioética” e sua importância para a área da saúde. Apesar de que sua origem exata não tenha sido definida completamente, vimos com maior clareza que, no fundamento desta nova disciplina, podemos encontrar traços comuns com a normatividade nas tarefas médicas, que remonta à época da antiga Grécia, nos anos em que Hipócrates (460-370 a.C.), o pai da medicina, desenvolveu seus postulados éticos.

Certamente, a história foi mais complexa e existiram muitos marcos importantes posteriores a Hipócrates, que contribuíram na evolução destes princípios éticos. Agora, aprofundaremos mais na relação entre a ética médica antiga e as contribuições do cristianismo, que a enriqueceram e a constituíram em uma base fundamental para o surgimento da nova disciplina.

Juramento hipocrático: assunto do passado?

O Juramento talvez seja o documento mais célebre do corpus hipocrático. Este documento contém uma valiosa riqueza em sua formulação. Destinado aos médicos, homens que tinham um ofício e uma profissão acima da lei, possui uma estrutura que representa a cultura e a tradição próprias da época. Entre suas principais características, encontram-se:

– Em primeiro lugar, uma introdução que invoca a divindade.

– Na parte central, encontram-se os compromissos frente aos professores, colegas e pacientes. Promete-se fazer o bem e não praticar o mal.

– Por último, propõe sanções por parte da divindade, de acordo com o cumprimento ou não do próprio juramento.

Assim se entende que a profissão médica possuía, desde a sua origem, uma relação com o transcendente e estava revestida de caráter sagrado.

No juramento, também se encontra uma moralidade específica: os princípios de beneficência e não maleficência. Corresponde a uma moralidade objetiva, que se encontra acima dos desejos subjetivos e que se ordena ao bem em si mesmo e ao respeito pela pessoa. Estes foram tradicionalmente os dois princípios que orientaram o agir do médico: fazer o bem a quem se atende (à pessoa do doente) e buscar não lhe causar nenhum mal.

A contribuição do cristianismo para a ética médica

As palavras e obras de Jesus enriqueceram a concepção e o exercício da medicina que havia se desenvolvido desde a Antiguidade. As principais contribuições da doutrina cristã foram, entre outras:

– A fundamentação do conceito de pessoa humana: o desenvolvimento da antropologia cristã, que supera o dualismo tradicional, que propõe o valor e a dignidade do ser humano em toda a sua integridade, ao ter sido criado pelo amor de Deus, à sua imagem e semelhança.

– A configuração teológica na assistência do doente e na profissão médica: neste sentido, a assistência à saúde adquire um valor novo, que se encontra na vivência da caridade de Cristo. Em cada pessoa doente que se atende, está a imagem visível de Jesus, o rosto sofredor do Senhor que espera para ser atendido com o mesmo amor que Ele teve por cada um dos doentes que curou.

– A riqueza dos ensinamentos da parábola do bom samaritano: é o modelo a seguir por qualquer profissional de saúde. É lição de reverência frente à dignidade e integralidade de todo ser humano.

– O médico no sentido cristão: o conceito do profissional médico também se transforma, deixando de ser um personagem que está acima da lei moral para tornar-se um servidor, um instrumento nas mãos de Deus para servir os que sofrem.

Esta concepção cristã permaneceu ao longo de vários séculos e suas orientações se plasmaram em vários modelos de atenção e serviço na medicina; além disso, foi acolhida e seguida por inúmeras pessoas e centros hospitalares.

  • 1
  • 2
Tags:
AbortoCristianismomedicinaVirtudes
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Eucaristia
Reportagem local
Diocese afasta padre que convidou pastor para “concelebrar&...
2
Padre Paulo Ricardo
Nossos tempos são os últimos? A Irmã Lúcia responde
3
OPERA SINGER
Cerith Gardiner
Cantora de ópera faz apresentação incomum e homenageia Maria e as...
4
DOMINIKANIN, SZCZEPIONKA COVID
Jesús V. Picón
Padre desenvolve vacina contra Covid-19 para os pobres
5
SPANISH FLU
Philip Kosloski
Os poderosos conselhos do Padre Pio durante uma pandemia na Itáli...
6
FATHER RANIERO CANTALAMESSA
Vatican News
Cuidado com a hipocrisia: a pureza de coração é condição para ver...
7
NIEPOKALANE POCZĘCIE
Reportagem local
Nossa Senhora se ajoelha no Céu toda vez que rezamos esta oração
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia