Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 26 Novembro |
São Silvestre Guzzolini
home iconAtualidade
line break icon

Canadá: atirador e soldado mortos na área do Parlamento

<p>Polícia e equipes médicas removem uma pessoa ferida no parlamento do Canadá, cenário de váris disparos</p>

AFP - publicado em 23/10/14

A polícia canadense matou nesta quarta-feira um atirador no Parlamento em Ottawa, enquanto um soldado baleado nas proximidades do prédio não resistiu aos ferimentos e faleceu quando era socorrido, no último de uma série de ataques que elevaram o alerta de terrorismo.

O centro de Ottawa foi totalmente isolado. "Uma das vítimas do tiroteio morreu dos ferimentos recebidos. Era membro das forças canadenses", informou a polícia.

O autor dos disparos foi identificado como Michael Zehaf-Bibeau, um canadense de 32 anos considerado pelos serviços de Inteligência como "um viajante de alto risco", cujo passaporte havia sido confiscado recentemente, revelou a imprensa canadense.

O militar morto montava guarda diante de um monumento próximo ao Parlamento. Foi levado com vida para o hospital, mas faleceu quando era atendido na emergência.

Segundo um porta-voz da Polícia, outras duas pessoas sofreram "ferimentos menores" no incidente.

Após os disparos, dezenas de agentes de segurança foram enviados ao monumento, ao Parlamento e aos arredores de um shopping center.

De acordo com testemunhas, um homem de barba atirou contra o soldado e, em seguida, roubou um veículo para se dirigir à entrada do Parlamento, em um perímetro reservado a veículos autorizados e da polícia.

O homem entrou no prédio principal do Parlamento e um pouco mais tarde, houve uma grande detonação, seguida de um tiro disparado pela polícia, revelam imagens feitas por um jornalista do "Globe and Mail".

"Um homem entrou correndo no Parlamento. Ele foi perseguido por policiais armados com fuzis que gritavam para que todos se protegessem", relatou Marc-André Viau, um funcionário do Parlamento que acredita ter ouvido "cerca de 20 disparos de arma automática".

O primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, que se encontrava no Parlamento no momento do tiroteio foi retirado em segurança do local – revelou seu porta-voz, Jason McDonald.

Os líderes da oposição, Thomas Mulcair do NPD (esquerda) e Justin Trudeau, do Partido Liberal, também foram levados para locais seguros.

Harper afirma que Canadá não será intimidado

Ao comentar o ataque, Harper garantiu que "o Canadá jamais será intimidado" pelas "organizações terroristas", e afirmou que os serviços de Segurança vão "redobrar" os esforços, após o assassinato de dois soldados em três dias.

Harper prometeu a seus compatriotas que "esses gestos nos levarão a aumentar nossa determinação e a redobrar nossos esforços e os das nossas agências de Segurança Nacional.

Ao recordar o atropelamento proposital de dois soldados, na segunda-feira – um dos quais morreu – na região de Montreal, o primeiro-ministro assinalou que os "fatos desta semana nos recordam tristemente que o Canadá não está a salvo deste tipo de ação terrorista".

As duas ações foram cometidas justamente na semana em que o Canadá enviou seus primeiros aviões para bombardear objetivos do grupo jihadista Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

O presidente americano, Barack Obama, conversou por telefone com Harper sobre o tiroteio no Parlamento, informou o porta-voz da Casa Branca Josh Earnest.

O presidente francês, François Hollande, revelou que se mantém informado sobre o desenrolar dos acontecimentos na capital canadense e expressou "a total solidariedade da França ao Canadá" – segundo o comunicado divulgado pelo Palácio do Eliseu.

Durante o tiroteio, os habitantes do centro de Ottawa foram instruídos a ficar longe das janelas, pois, de acordo com a Gendarmerie Real (Polícia Federal) do Canadá, um dos agressores estaria "provavelmente" no telhado do Parlamento.

Atiradores de elite foram deslocados para os telhados próximos, especialmente no Museu de Belas Artes.

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Confissão não é para contar problemas, mas para contar pecados
Pe. Gabriel Vila Verde
Confissão não é para contar problemas, mas pa...
RED WEDNESDAY
Reportagem local
Perseguição aos cristãos no mundo é denunciad...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia