Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconAtualidade
line break icon

Rússia vai reconhecer eleições organizadas por separatistas na Ucrânia

<p>O ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, durante a reunião de cúpula Ásia-Europa em Milão no dia 16 de outubro</p>

AFP - publicado em 28/10/14

A Rússia anunciou que reconhecerá os resultados das eleições legislativas e presidenciais de 2 de novembro nas regiões do leste ucraniano controladas pelos insurgentes pró-Rússia, uma decisão criticada por Kiev.

"Esperamos que as eleições sejam celebradas como estão previstas e reconheceremos, certamente, os resultados", declarou o ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, ao jornal Izvestia.

Enquanto os partidos pró-Ocidente que venceram as eleições de domingo na Ucrânia negociam a formação de um novo governo na capital, Moscou recorda, com suas declarações, que uma parte do território não está sob controle do Executivo.

Moscou, que segundo Kiev e os países ocidentais, fornece apoio militar aos insurgentes, não havia reconhecido formalmente em maio os referendos de independência celebrados pelos separatistas.

Mas, de acordo com Lavrov, se trata desta vez de "legitimar as autoridades rebeldes", como parte dos acordos de Minsk que estabeleceram um cessar-fogo, em 5 de setembro, para tentar deter os combates que deixaram 3.700 mortos, segundo a ONU, no leste ucraniano.

Os acordos de paz preveem uma ampla autonomia para as zonas separatistas com um "governo autônomo provisório" e eleições locais, parte de uma descentralização e não de uma independência.

Os separatistas, que não votaram nas legislativas de domingo, não atenderam Kiev, que apresentou a proposta de eleições em 7 de dezembro, e acabaram organizando por conta própria eleições nas duas "repúblicas" autoproclamadas de Donetsk e Lugansk.

Para a Ucrânia, Moscou viola o acordo de paz de Minsk.

"A intenção da Rússia mina o processo de paz, fragilizando a confiança no país enquanto sócio internacional seguro", declarou à AFP Dimytro Kuleba, alto funcionário do ministério ucraniano das Relações Exteriores.

Rublo em queda e preços em alta

A crise ucraniana com a destituição do ex-presidente pró-Rússia Viktor Yanukovytch, a anexação da Crimeia pela Rússia e o conflito armado no leste provocou a maior crise entre Moscou e os países ocidentais desde o fim da Guerra Fria.

A economia russa, abalada por sanções que afetam os grandes bancos e o fundamental setor petroleiro, está à beira da recessão. O rublo voltou a registrar um recorde negativo nesta terça-feira em comparação ao euro e ao dólar.

O fenômeno tem incidência direta sobre os preços, com uma inflação que já supera 8%.

A situação no leste da Ucrânia permanece tensa e os combates foram retomados na segunda-feira, após um fim de semana de relativa calma.

Em Donetsk, os confrontos prosseguiam na área próxima do aeroporto.

Yatseniuk lidera

Com 86% dos votos apurados, a vitória eleitoral das forças pró-Ocidente foi confirmada.

A Frente Popular do primeiro ministro Arseni Yatseniuk lidera com 22% dos votos, seguida pelo bloco do presidente Petro Poroshenko (21,7%).

Ambos terão que trabalhar para formar uma coalizão que incluirá provavelmente integrantes do Samopomitch (10,9%), um movimento que reúne jovens que participaram nos protestos pró-Europa da praça Maidan de Kiev, e talvez o partido da ex-primeira-ministra Yulia Timoshenko (5,7%).

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia