Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 05 Dezembro |
São Saba
home iconAtualidade
line break icon

Acesso à Esplanada das Mesquitas é reaberto em Jerusalém

<p>Soldados israelense montam guarda na Esplanada das Mesquitas</p>

AFP - publicado em 31/10/14

A Esplanada das Mesquitas reabriu em Jerusalém nas primeiras horas desta sexta-feira, dia de oração semanal muçulmana e depois de permanecer fechada na véspera em virtude de uma decisão incomum por parte de Israel ante a escalada da tensão na cidade.

As ruas da Cidade Velha, situadas perto da esplanada que abriga a mesquita de Al Aqsa e o Templo da Rocha, estavam tranquila no início do dia. A massa de fieis muçulmanos só é esperada para o fim da manhã.

Israel decidiu reabrir a Esplanada das Mesquitas, mantendo, contudo, uma proibição de acesso a homens com menos de 50 anos – informou uma porta-voz da polícia israelense, Luba Samri.

A decisão entrou em vigor à meia-noite de quinta-feira (20H00 em Brasília), na véspera da grande oração muçulmana de sexta-feira.

Na quinta, as autoridades israelenses tomaram a decisão de fechar a Esplanada das Mesquitas diante do aumento das tensões em Jerusalém Oriental, anexada e ocupada por Israel.

Segundo a fundação que administra a Esplanada, a decisão de fechar o terceiro lugar santo do Islã, que também é venerado pelos judeus, não tinha precedentes desde 1967 e a ocupação israelense.

O estatuto da Esplanada das Mesquitas é motivo de tensão permanente. Os muçulmanos temem que o governo israelense autorize os judeus a rezar no local, o que não é permitido até o momento. Eles suspeitam que tal permissão seria o primeiro passo para destruir as mesquitas, com o objetivo de construir o terceiro templo judaico.

O presidente palestino, Mahmud Abbas, considerou o fechamento uma "declaração de guerra", assim como os recentes atos israelenses em Jerusalém Oriental. A Jordânia, que controla a fundação que administra a Esplanada, acusou Israel de "terrorismo de Estado".

Já a Al-Azhar, uma das mais prestigiadas autoridades do Islã sunita, denunciou como "um ato hostil e bárbaro".

A Al-Azhar acusou Israel de querer "tomar o controle da mesquita de Al-Aqsa" e fez um apelo "ao mundo muçulmano e à comunidade internacional para que impeçam este ato bárbaro que exacerba o conflito religioso e causa instabilidade na região".

A decisão de fechar a Esplanada ocorreu em meio a uma nova escalada da tensão após um ataque a um ultranacionalista judeu seguido da morte de um palestino suspeito da agressão.

Na Cidade Velha, jovens palestinos e policiais israelenses voltaram a entrar em confronto no bairro onde a polícia matou, na manhã desta quinta-feira, um palestino suspeito de ter ferido gravemente na quarta Yehuda Glick, uma personalidade da extrema-direita israelense.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, anunciou o envio de reforços "significativos" da polícia a Jerusalém.

A polícia foi colocada em estado de alerta em todo o país. As forças de segurança estavam presentes em grande número nas ruas da Cidade Velha, onde os comerciantes fecharam as portas.

Muatez Hijazi, o palestino suspeito de matar Glick, foi abatido a tiros pela polícia israelense pouco antes das 06h00 (02h00 de Brasília).

O homem de 32 anos "foi morto em sua casa no bairro de Abu Tor, Jerusalém, por uma unidade das forças especiais da polícia após uma troca de tiros", afirmou o porta-voz das forças de segurança, Micky Rosenfeld.

Para muitos moradores da área, a polícia assassinou o palestino "pura e simplesmente".

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
HUG
Dolors Massot
Médico abraça paciente com Covid-19 que chora...
PADRE NO ALTAR DA MISSA
Reportagem local
Missa de Crisma é interrompida por policiais ...
Missa de Crisma
Reportagem local
Arcebispo detona interrupção de Missa: "Ocorr...
BOKO HARAM NIGÉRIA
Francisco Vêneto
Terroristas islâmicos degolam mais de 100 pes...
Bispo brasileiro Dom Antônio Carlos Rossi Keller
Reportagem local
Mais um bispo brasileiro detona: "Autoridades...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia