Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 05 Dezembro |
São Saba
home iconEstilo de vida
line break icon

Seminarista com câncer escreve para americana que marcou data da morte

© Diocese of Raleigh

ACI Digital - publicado em 31/10/14

Em 2008 ele foi diagnosticado com câncer terminal pelos médicos, que lhe deram apenas um ano e meio de vida

Um seminarista que espera receber a ordenação diaconal no início de 2015 e a sacerdotal em 2016, apesar de ter sido diagnosticado pelos médicos em 2008 com apenas um ano e meio de vida, agora envia uma mensagem a uma mulher que anunciou que se submeterá ao suicídio assistido no dia 1º de novembro.

Phillip Johnson, que tem atualmente 30 anos, foi diagnosticado com câncer cerebral de grau 3, conhecido como astrocitoma anaplásico, faz seis anos, quando servia como oficial da marinha norte-americana no Golfo Pérsico.

“Recordo o momento em que vi as imagens computadorizadas dos scanners cerebrais. Fui à capela da base e caí no chão chorando. Perguntei a Deus ‘por que eu?’”, escreveu Johnson em uma coluna publicada em 22 de outubro, intitulada “Querida Brittany: Nossas vidas valem a pena serem vividas, inclusive com câncer cerebral” para o site da Diocese de Raleigh (Estados Unidos).

Johnson foi enviado para casa para começar o tratamento de radioterapia e quimioterapia e depois recebeu dispensa da marinha, antes de entrar na formação para o sacerdócio, um chamado que percebeu aos 19 anos.

Inclusive com tratamento agressivo, a maior parte das pesquisas mostra que a média de tempo de sobrevivência para este tipo de câncer é de 18 meses, disse.

Citando a mulher de 29 anos que expressou em um vídeo a sua decisão de morrer por um suicídio assistido médico, Brittany Maynard, Johnson disse que "mesmo que digam que você tem esse tipo de linha do tempo, parece como se fosse morrer amanhã".

Depois de consultar os seus médicos, Johnson entendeu que "gradualmente perderei o controle das minhas funções corporais sendo ainda jovem, terei desde paralisia até incontinência, e é muito provável que as minhas faculdades mentais também desapareçam e terei confusão e alucinações antes da minha morte".

Assim como a mulher com a doença terminal, ele não quer morrer ou "sofrer o resultado provável desta doença".

“Eu acho que ninguém quer morrer dessa maneira”.

Entretanto, Johnson acha que um sofrimento assim não diminui o seu valor como pessoa. "A minha vida significa algo para mim, para Deus e para a minha família e amigos, e, salvo uma recuperação milagrosa, continuará significando muito depois que esteja paralisado em uma cama de hospital".

"A minha família e amigos me amam por quem sou, não só pelos traços de personalidade que lentamente irão embora se este tumor avança e toma a minha vida".

Johnson reconhece a tentação de Maynard de acabar com a sua vida "em seus próprios termos". Ele admitiu que também desejou algumas vezes que o câncer acabasse com a sua vida rapidamente para terminar o sofrimento, e que esperava ser curado do câncer por um milagre.

Ter recebido este tempo adicional para viver provou agora ser um milagre em si mesmo, disse Johnson. De fato, ele experimentou “incontáveis milagres" através da sua doença.

Na sua preparação para o sacerdócio, Johnson foi capaz de servir outras pessoas com doenças terminais, e aprendeu que "o sofrimento e a dor de coração que faz parte da condição humana não tem que ser desperdiçado e interrompido por medo ou procurando controle em uma situação aparentemente incontrolável".

"Este é, provavelmente, o milagre mais importante para mim".

Evitar o sofrimento a todo custo, inclusive pagando o preço com a própria vida, é uma forma de tentar ter a situação sob controle "em meio da confusão", mas ignora o valor redentor do sofrimento.

"Não procuramos a dor em si mesma, mas o nosso sofrimento pode ter grande significado se tentamos uni-lo à Paixão de Cristo e oferecê-lo pela conversão ou intenções dos outros".

Johnson disse que ao acabar com a sua vida prematuramente, Maynard perderá os "momentos mais íntimos da sua vida" em troca de uma opção mais rápida "que está mais focada em si mesma que em qualquer outro".

  • 1
  • 2
Tags:
CâncerEutanásiaSofrimentoTestemunhoVida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
HUG
Dolors Massot
Médico abraça paciente com Covid-19 que chora...
PADRE NO ALTAR DA MISSA
Reportagem local
Missa de Crisma é interrompida por policiais ...
Missa de Crisma
Reportagem local
Arcebispo detona interrupção de Missa: "Ocorr...
BOKO HARAM NIGÉRIA
Francisco Vêneto
Terroristas islâmicos degolam mais de 100 pes...
Bispo brasileiro Dom Antônio Carlos Rossi Keller
Reportagem local
Mais um bispo brasileiro detona: "Autoridades...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia