Aleteia

O que é e o que significa o TAU?

© Public Domain
Compartilhar
Comentar

Qual é a origem da cruz tão amada por São Francisco de Assis?

Você já se perguntou qual é o significado daquela cruz, em forma de “T”, que geralmente é usada pelos franciscanos? Com a ajuda do portal San Francesco Patrono d’Italia, buscamos entender exatamente do que se trata. 

Antiga origem

O Tau é a última letra do alfabeto hebraico e é usado com valor simbólico, seja no Antigo Testamento, onde se fala já no livro de Ezequiel: “O Senhor disse: passa em meio à cidade, em meio a Jerusalém e marca um Tau na fronte dos homens que suspiram e choram…” (Ez 9,4). O Tau é o sinal que, colocado na fronte dos povos de Israel, os salvou do extermínio. 

Foi adotado pelos primeiros cristãos por dois motivos.

1. Como última letra do alfabeto hebraico, era uma profecia do último dia e tinha a mesma função da letra grega Omega, como aparece no Apocalipse: “Eu sou o Alfa e o Omega, o princípio e o fim. A quem tem sede eu darei gratuitamente da fonte da água viva. Eu sou o Alfa e o Omega, o primeiro e o último, o princípio e o fim” (Ap 21,6; 22,13).

2- Os cristãos adotaram o Tau porque a sua forma parecia ser a cruz, sobre a qual Cristo foi imolado para salvar o mundo.

O que não é?

O Tau não é um amuleto mágico.
Não é um fetiche, nem menos um brinquedo qualquer. 
Não é um amuleto de boa sorte de possuir apenas porque “traz o bem”. 

É sinal do que?

É o sinal concreto de uma devoção cristã, mas sobretudo um sinal de vida no seguimento do Cristo pobre e crucificado.
É o sinal de reconhecimento do cristão, ou seja, do filho de Deus, do filho que escapou do perigo, aquele que foi salvo. É um sinal de potente proteção contra o mal (Ez 9,6). 
É um sinal querido por Deus para mim, é um privilégio divino (Ap 9,4; Ap 7,1-4; Ap 14,1).
É o sinal dos redimidos do Senhor, dos sem mancha, daqueles que confiam Nele, daqueles que se reconhecem filhos amados e que sabem que são preciosos para Deus (Ez 9,6).
É símbolo da dignidade dos filhos de Deus, porque é a Cruz de Cristo. 
É um sinal que me lembra que preciso ser, também eu, forte nas provações, pronto a obedecer o Pai e dócil na submissão, como foi Jesus diante da vontade do Pai.

São Francisco e a cruz

São Francisco de Assis, pela semelhança que o Tau tem com a cruz, tinha-o como muito importante, tanto que este ocupou um lugar relevante na sua vida como também nos gestos. Nele, o velho sinal profético se atualiza, retoma a força salvadora e exprime a bem-aventurança da pobreza, elemento substancial da forma de vida franciscana.

O Tau era um sinal querido por Francisco, sinal revelador de uma convicção espiritual profunda que somente na cruz de Cristo está a salvação de cada homem.

Assim, o Tau, que tem uma sólida tradição bíblico-cristã, foi acolhido por São Francisco no seu valor espiritual, e o Santo de Assis tomou posse de maneira tão intensa e total, até se tornar, ele mesmo, por meio dos estigmas em sua carne, aquele Tau vivo que tanto ele contemplou, desenhado, mas sobretudo amado. 

Porque na madeira?

A madeira é um material muito pobre e simples, e os filhos de Deus são chamados a viver de maneira simples e em pobreza de espírito (Mt 5,3). A madeira é um material que se trabalha facilmente e que o cristão batizado precisa se deixar modelar na vida de todos os dias, da Palavra de Deus, ser voluntário do Seu Evangelho.

Boletim
Receba Aleteia todo dia