Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 29 Novembro |
Bem-aventurados Dionísio da Natividade e Redento da Cruz
home iconAtualidade
line break icon

Moscou 'respeita' resultado das eleições separatistas na Ucrânia

<p>O candidato Alexander Zakhartchenko conversa com a imprensa depois de votar nas eleições do leste separatista da Ucrânia, em Donetsk, 2 de novembro de 2014</p>

AFP - publicado em 03/11/14

O Kremlin anunciou que "respeita" os resultados das eleições presidencial e legislativas realizadas neste domingo no leste separatista da Ucrânia – divulgaram agências russas de notícias.

"As eleições nas regiões de Donetsk e de Lugansk transcorreram na calma, com uma taxa de participação elevada", informou o Kremlin, citado pelas três principais agências russas.

"Respeitamos a vontade dos habitantes do sudeste (da Ucrânia)", completou Moscou.

"Os que foram eleitos receberam um mandato para resolver os problemas e restabelecer a vida normal nas regiões do leste da Ucrânia", afirmou o Ministério russo das Relações Exteriores, que convocou o diálogo entre os eleitos e o governo da Ucrânia.

Já a União Europeia considerou que a eleição organizada hoje foi ilegal, não será reconhecida e representa um "novo obstáculo" para uma solução pacífica para o conflito.

"Considero (a eleição) de hoje um novo obstáculo no caminho para a paz na Ucrânia", declarou a nova chefe da diplomacia do bloco, Federica Mogherini, em uma nota.

Federica alega que as eleições de hoje foram "contrárias à letra e ao espírito" dos acordos concluídos em Minsk, em setembro passado, entre Kiev e os rebeldes com o apoio de países ocidentais e da Rússia.

O acordo prevê eleições em conformidade com as leis ucranianas no início de dezembro, nas zonas controladas pelos rebeldes.

A representante da diplomacia europeia declarou ainda que as eleições previstas pelos acordos de Minsk constituem "o meio legal e legítimo" de eleger autoridades locais nesses territórios da Ucrânia.

"Convoco todas as partes a trabalhar por essas eleições", insistiu.

Sem se referir à Rússia diretamente, ela destacou que a paz supõe "vontade política e boa-fé" e manifestou "a esperança de que todas as partes reafirmem seu compromisso" com o que foi acordado em Minsk.

Pesquisa dá vitória a Zakhartchenko

O "primeiro-ministro" da autoproclamada república de Donetsk (DNR), Alexandre Zakhartchenko, foi eleito "presidente" neste domingo, com 81,37% – de acordo com pesquisa de boca de urna divulgada pelo chefe da Comissão Eleitoral instalada para esse pleito por parte da DNR, Roman Liaguine.

Segundo a mesma enquete, seu partido, o "República de Donetsk", recebeu 65,11% dos votos nas eleições legislativas.

Em novo boletim, Liaguine afirmou que Zakhartchenko aparece com mais de 70% dos votos, após a apuração de mais de 50% das urnas.

Filho de mineiro, o comandante de unidades rebeldes Zakhartchenko afirmou que seu desejo é "construir um novo Estado, que se tornará legítimo depois das eleições, e recuperar os territórios do leste atualmente sob controle ucraniano".

"A Ucrânia não quer a paz, o que quer que ela diga. Claramente, ela joga um jogo duplo", criticou Zakhartchenko, após ser declarado vencedor das urnas, neste domingo.

"Até o momento, não consigo entender a política feita por Kiev. Estamos prontos para o diálogo com eles, mas esperamos, de sua parte, uma atitude normal e razoável", acrescentou.

Hoje, o presidente da Ucrânia, Petro Poroschenko, classificou a eleição separatista de "farsa realizada sob a ameaça dos tanques" e garantiu que o governo reagirá a esse desafio.

"Essa farsa realizada sob a ameaça dos tanques e das metralhadoras organizada por duas organizações terroristas na região de Donbass é um acontecimento terrível", declarou o presidente, referindo-se às repúblicas pró-russas de Donetsk e de Lugansk, segundo um comunicado.

"A Ucrânia reagirá a esse desafio de maneira adequada", prometeu.

Os combates entre separatistas pró-russos e o Exército ucraniano deixaram mais de quatro mil mortos em seis meses, segundo balanço da ONU.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
POPE URBI ET ORBI
Reportagem local
Bênção Urbi et Orbi do Papa Francisco nesta s...
Folheto divulgado por Antônio Carlos da Silva
Reportagem local
Eu nasci mais ou menos em 1988: os 27 anos da...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
FATIMA
Philip Kosloski
Nossa Senhora de Fátima tem um conselho para ...
Medalha Milagrosa verdadeira ou falsa
Reportagem local
Cuidado: saiba distinguir entre a real Medalh...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia