Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconReligião
line break icon

Papa Francisco: não ter medo de ir ao convite de Deus

Vatican News - publicado em 04/11/14

"Católicos, mas não muito. Confiantes no Senhor, mas não muito. Este ‘mas não muito’, eh?, marca a nossa vida, nos faz pequenos, não?”.

O Papa Francisco pediu hoje aos fiéis que não fiquem em casa presos aos próprios limites e pecados, mas que saiam para responder ao convite de Deus.

Em homilia na Casa Santa Marta, o Papa advertiu que, às vezes, por egoísmo ou sede de poder, evitamos a festa à qual o Senhor nos convida gratuitamente. 

A partir de parábola narrada no Evangelho de Lucas, o Papa desenvolveu a sua homilia: um homem dá um grande jantar, mas os convidados inventam desculpas para não ir. 

“Todos gostam de ser convidados, mas naquele banquete havia algo que três convidados não gostavam. Um disse que tinha “comprado um terreno e precisava sair para vê-lo para se sentir poderoso; não queria ficar sentado como um entre muitos”. Outro comprou cinco bois e estava concentrado nos negócios; não queria “perder tempo” com as pessoas. Enfim, o último se desculpou dizendo que era casado e não queria levar sua esposa à festa. “No final – prosseguiu Francisco – os três tinham uma preferência por si mesmos, não queriam participar de uma festa: não sabiam o que era uma festa. Há sempre interesse, aquilo que Jesus explicou como “compensação”.

“Se o convite tivesse sido, por exemplo: “Venham que eu tenho dois ou três amigos de negócios que vêm de outro país, podemos fazer uma transação juntos”, certamente ninguém teria recusado, mas o que os assustou foi a gratuidade. É muito difícil ouvir a voz de Jesus, a voz de Deus quando não se vê o horizonte porque o horizonte é ele mesmo. E por detrás disso, há outra coisa, mais profunda: o medo da gratuidade; temos medo da gratuidade de Deus. É tão grande que nos assusta”. 

“Isso acontece porque as experiências da vida muitas vezes nos fizeram sofrer”, disse o Papa, como acontece com os discípulos de Emaús, que se afastam de Jerusalém; ou Tomé, que quer tocar para acreditar. Quando “a esmola é demais – disse retomando um provérbio popular – até o Santo desconfia”, porque “a gratuidade é demasiada”. “E quando Deus nos oferece um banquete assim”, afirmou, pensamos que seja “melhor não se meter”.

“Ficamos mais seguros nos nossos pecados, nos nossos limites, quando estamos em nossa casa; sair da nossa casa para ir ao convite de Deus, à casa de Deus, com os outros? Não. Sinto medo. E todos nós cristãos temos este medo: escondido, dentro …. Católicos, mas não muito. Confiantes no Senhor, mas não muito. Este ‘mas não muito’, eh?, marca a nossa vida, nos faz pequenos, não?”. 

“Uma coisa que me faz pensar – acrescentou o Papa – é que quando o servo conta tudo isso ao seu senhor, o senhor se enfurece porque foi desprezado. E manda chamar todos os pobres, os estropiados, pelas praças e as ruas da cidade. O senhor pede ao servo que obrigue as pessoas a participarem na festa. “Muitas vezes o Senhor deve fazer isso conosco com as provações”, comentou o Papa.

“Obrigá-los, porque aqui haverá festa. A gratuidade. Obrigar aquele coração, aquela alma a acreditar que há gratuidade em Deus, que o dom de Deus é grátis, que a salvação não se compra: é um grande presente, que o amor de Deus … é o maior presente! Esta é a gratuidade. E nós temos um pouco de medo e por isso pensamos que a santidade se faz com as nossas coisas e com o tempo nos tornamos um pouco pelagianos, eh? A santidade, a salvação é gratuidade”.

Jesus, evidenciou o Pontífice, “pagou a festa com a sua humilhação até a morte, morte de Cruz. E esta é a grande gratuidade”. Quando nós olhamos o Crucifixo, disse ainda, pensamos que “esta é a entrada à festa”: “Sim, Senhor, sou pecador, tenho muitas coisas, mas olho para Ti e vou à festa do Pai. Confio. Não ficarei desiludido, porque Tu pagaste tudo”. Hoje, concluiu, “a Igreja nos pede para não termos medo da gratuidade de Deus”. “Devemos abrir o coração, fazer de nossa parte tudo o que podemos; mas a grande festa será feita por Ele”.

(Rádio Vaticano)

Tags:
Papa Franciscovida crista
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia