Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Estilo de vida

As freiras se dedicam somente a rezar e ler a Bíblia no convento?

© José Luis Avila Herrera

Vocación y Actualidad - publicado em 11/11/14

Existem muitas ideias sobre a vida religiosa, algumas certas, outras bem distantes da realidade...

É normal e justo ter uma primeira impressão das pessoas religiosas como homens e mulheres que se dedicam quase exclusivamente a rezar e a ler a Bíblia.

Na realidade, é uma boa impressão, mas sabemos que a vida religiosa não consiste apenas nisso. Certamente, rezar e ler a Bíblia são ações essenciais em toda comunidade religiosa, mas a vida consagrada está cheia de outras atividades maravilhosas, como os momentos comunitários, a vivência da oração em comunidade, a convivência diária, o apostolado ou missão etc.

Para responder a esta questão, convidamos uma religiosa da Comunidade Discípula do Bom Pastor, a irmã Petrona, quem, além de ser uma feliz religiosa, estudou filosofia, teologia e atualmente se encontra estudando a licenciatura em Sagradas Escrituras.

*** *** ***

Em primeiro lugar, eu gostaria de dizer que há muitas ideias sobre a vida religiosa; algumas são bastante certas, outras, muito distantes da realidade. A verdade é que cada uma dessas ideias surge segundo a experiência que se teve da vida religiosa, seja pelo que se escuta, pelo que se vê na televisão ou pelo que se pensa.

Uma das muitas ideias que se tem sobre a vida religiosa ou consagrada é que nós passamos o tempo todo rezando ou lendo a Bíblia, e de cara posso dizer que não é bem assim. Lembro-me da minha fundadora contando que, quando ela entrou no convento, pensava que os anjos preparavam a comida, já que, quando ela chegava ao refeitório, tudo estava servido à mesa; mas ficou surpresa quando lhe disseram que era sua vez de preparar o café da manhã. Então, ela disse: “Ah, então eu também sou um anjo daqueles que prepara o café?”…

Algo similar ocorreu comigo quando ainda não conhecia nem havia vivido as inúmeras atividades que temos de realizar na vida religiosa. E não se trata apenas de realizar atividades, mas de vivê-las com atitude, com espírito, como costumamos dizer; assim, por exemplo, quando estamos na etapa de formação, aprendemos a cozinhar, fazer trabalhos manuais, ter hábitos de bons costumes, temos aulas voltadas para a linha humana e espiritual (método de oração, desenvolvimento da personalidade, secretaria, cultura geral, cozinha, trabalhos manuais, liturgia, Bíblia, evangelização etc.).

Saímos para realizar um apostolado nos finais de semana e visitamos nossos familiares todos os meses, quando moram perto; também servimos no refeitório e fazemos alguns passeios. Isso só nas etapas iniciais da nossa formação.

Na fase do noviciado, intensifica-se a vida de oração; é como viver um deserto espiritual, porque nos exercitamos na vida de silêncio e na escuta interior, sobretudo por meio da Palavra de Deus, do trabalho e do conhecimento do carisma e da espiritualidade do instituto.

Talvez esta seja uma das razões pelas quais às vezes se pensa que a vida religiosa é só para estar rezando e lendo a Bíblia. Mas, vista assim, parece ser muito chata, ainda que seja parte essencial da nossa vida: quem não ora, perde a vocação; e quem não lê ou escuta Deus na Bíblia, não poderá conhecer Cristo.

Mas tudo tem uma ordem; o importante é conseguir estabelecer um equilíbrio entre mística-práxis e reflexão, o que será um trabalho para a vida toda, porque, quando já estamos consagradas, nós nos dedicamos ao trabalho pastoral ou segundo as tarefas do carisma congregacional.

Para algumas, o trabalho principal será ser professora, enfermeira, atender as crianças, a catequese, a pastoral, o escritório etc. Atenção: eu disse “trabalho principal”, mas não o mais importante.

Também precisamos continuar em nossa formação permanente; o aspecto intelectual é muito importante para responder aos desafios atuais – daí que algumas estudem certas especialidades das ciências humanas ou teológicas, segundo vão se apresentando as necessidades e aptidões de cada uma.

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
freirasTestemunhovida cristaVocação
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia