Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

China quer solucionar divergências marítimas de modo pacífico

O presidente chinês, Xi Jinping, afirmou que jamais utilizará a força para alcançar os objetivos e que deseja resolver de forma pacífica as disputas marítimas com os vizinhos

Compartilhar

O presidente chinês, Xi Jinping, afirmou nesta segunda-feira que o país nunca utilizará a força para alcançar os objetivos e que deseja resolver de forma pacífica as disputas marítimas com os vizinhos.

"Basta olhar para a história para ver que os países que tentaram desenvolver-se à força fracassaram, invariavelmente", afirmou em um discurso no Parlamento ucraniano.

"Isto é o que a história nos ensina. A China se dedica a promover a paz. Devemos estar sempre muito alertas contra os fatores que podem nos privar da paz", completou.

Pequim mantém disputas com quatro países do sudeste asiático por pequenas ilhas no mar da China Meridional.

O país também tem outra divergência no mar da China Oriental com o Japão pela soberania das ilhas Senkaku, administradas por Tóquio e reivindicadas por Pequim com o nome Diaoyu.

"Há muito tempo, a posição da China consiste em solucionar as divergências com os países envolvidos e (defender) seus interesses em termos de soberania e fronteiras marítimas pelo diálogo e com consultas", disse o presidente chinês.

"O governo chinês está disposto a reforçar o diálogo e a cooperação com os países em questão para manter a liberdade de navegação e a segurança das vias marítimas, assim como para garantir suas delimitações marítimas pacíficas", concluiu.