Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Rússia e Polônia anunciam expulsões recíprocas de diplomatas

O chefe da diplomacia de Varsóvia, Grzegorz Schetyna, reconheceu que a decisão da Rússia representa uma "resposta recíproca" a uma medida similar adotada pelas autoridades polonesas com diplomatas russos

Compartilhar

O governo da Rússia anunciou nesta segunda-feira a expulsão por espionagem de vários diplomatas poloneses, em represália à expulsão de funcionários russos de Varsóvia.

"Vários diplomatas poloneses já deixaram o território de nosso país por atividades incompatíveis com seu estatuto", afirma um comunicado do ministério das Relações Exteriores, com termos que normalmente são uma referência à espionagem no campo diplomático.

Moscou não informou a data nem o número de funcionários expulsos.

O chefe da diplomacia de Varsóvia, Grzegorz Schetyna, reconheceu que a decisão da Rússia representa uma "resposta recíproca" a uma medida similar adotada pelas autoridades polonesas com diplomatas russos.

"Para nós, este assunto está encerrado", afirmou, segundo a agência PAP.

"Infelizmente, as autoridades polonesas tomaram esta medida hostil e sem fundamento. Depois disso, a parte russa adotou medidas de represália adequadas", completa a nota.

A imprensa russa informou em outubro e no início de novembro a expulsão de diplomatas do país de Varsóvia, acusados de espionagem.

No domingo, a imprensa anunciou a detenção e expulsão do ex-deputado letão Alexei Kholostov pelas mesmas acusações.

De acordo com o ministério alemão das Relações Exteriores, uma funcionária da embaixada do país foi expulsa de Moscou a pedido das autoridades russas.

A Rússia e o Ocidente passam pela crise mais grave desde o fim Guerra Fria pelo conflito na Ucrânia.