Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 27 Julho |
São Galactório
home iconReligião
line break icon

Por que se passa uma cestinha para coletar dinheiro durante a missa?

© Jim Pruitt/SHUTTERSTOCK

Patricia Navas González - publicado em 18/11/14

Durante o ofertório, são coletadas doações para os pobres e para as necessidades da Igreja, como demonstração de partilha de bens

Há um momento da missa, quando se apresentam o pão e o vinho que não se tornar o Corpo e o Sangue de Cristo, no qual é costume passar entre os presentes uma cesta para coletar dinheiro.

Que sentido e origem tem esta coleta? É obrigatório dar dinheiro nesse momento? Isso não distrai da celebração ou inclusive pode induzir a achar que se está cobrando um preço por participar da missa?

O sentido da coleta econômica durante a missa é a partilha dos bens, segundo o Missal Romano.

“São oferecidos dons materiais para os pobres assistidos pela comunidade cristã ou para as necessidades da própria paróquia”, explica à Aleteia o especialista em liturgia Jaume González Padrós.

É obrigatório?

Com o gesto de passar a cesta no momento do ofertório, os cristãos são chamados a unir uma doação material à sua doação espiritual ao sacrifício da missa. Certamente, isso é feito em liberdade e segundo a própria consciência.

“O importante é a consciência de cada fiel – explica o especialista. Todo cristão deve ter consciência da sua obrigação de colaborar com a Igreja em seus fins e em seu sustento, é um mandamento da Igreja.”

Dar dinheiro durante a missa quando passam a cestinha “não é uma obrigação; cada um, em sua consciência, decide como pode colaborar”.

Neste sentido, esclarece: “Não é a mesma coisa uma pessoa desempregada que uma que ganha 10 mil reais por mês. Cada um precisa descobrir, em sua consciência, em que grau pode colaborar, ou se realmente não pode”.

Desde os primeiros cristãos

O costume de passar a cestinha remonta às origens da Igreja, ainda que a forma foi variando ao longo do tempo.

Os primeiros cristãos levavam à missa o pão e o ofereciam para que o sacerdote o consagrasse. De fato, ainda hoje, nas liturgias orientais, os fiéis levam o pão, e o que não for usado na Missa é dado aos pobres.

Mais adiante, no lugar do pão, as pessoas começaram a oferecer outros dons para os pobres e necessitados, ou inclusive para a Igreja.

Também na atualidade, são recolhidos produtos vários em determinados lugares ou momentos, por exemplo, em uma campanha de Natal. Neste caso, esses dons são colocados em um lugar apropriado, fora da mesa eucarística.

“Hoje, na sociedade ocidental, é mais cômodo fazer uma coleta de dinheiro para as necessidades da paróquia e para os pobres que levar a comida”, destaca o diretor do secretariado da Comissão Episcopal de Liturgia da conferência episcopal espanhola, Luis García Gutiérrez.

Além das habituais, também há coletas especiais, determinadas pelas conferências episcopais para um fim determinado da Igreja: caridade, evangelização, formação de seminaristas etc., sempre vinculado à ação evangelizadora, pastoral e caritativa da Igreja.

A coleta sempre foi realizada no mesmo momento da missa, quando se apresenta o pão e o vinho, porque está vinculada à apresentação dos dons para a Eucaristia.

Segundo Gutiérrez, uma vez passada a cestinha, não é correto deixa-la sobre o altar – onde só devem permanecer o pão e o vinho – nem tampouco leva-la à sacristia, mas sim depositá-la aos pés do altar como expressão do que cada um oferece de si mesmo.

Tags:
DinheiroOração
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
3
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira reza todos os dias às 3h ...
4
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
5
CONFESSION, PRIEST, WOMAN
Julio De la Vega Hazas
Por que não posso me confessar diretamente com Deus?
6
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
7
Anna Gębalska-Berekets
O que falar (e o que não falar) a um ente querido com câncer
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia