Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 19 Setembro |
Santos Mártires coreanos (AndréKim Taegon, Paulo Chong Hasang e 101 companheiros)
home iconAtualidade
line break icon

Monarquias do Golfo deixam disputas de lado frente ao jihadismo

<p>Vista geral da cúpula anual das monarquias do Golfo, em Doha, Catar, em 9 de dezembro de 2014</p>

AFP - publicado em 09/12/14

Os líderes das monarquias petrolíferas do Golfo se reuniram nesta terça-feira no Catar para sua cúpula anual depois de nove meses de disputas emudecidas pela ameaça dos grupos jihadistas e da crescente influência do Irã.

A cúpula, que por pouco não foi cancelada, acontece em meio a uma ofensiva jihadista no Iraque e na Síria, ao agravamento da violência no Iêmen e à queda do preço do petróleo.

"O simples fato de a reunião ser realizada" e dos líderes do Golfo se reunirem é, "em si, um sucesso", declarou à AFP uma autoridade do Catar.

A crise que eclodiu em março é a mais grave já enfrentada desde a criação, em 1981, do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC), que inclui Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Omã e Catar.

Riad, Abu Dhabi e Manama acusaram Doha de desestabilizar a região por seu apoio à Irmandade Muçulmana, particularmente no Egito, e de conceder asilo aos oponentes islâmicos hostis a seus regimes.

Uma reconciliação foi selada em novembro e se concretizou pelo anúncio do retorno dos três embaixadores do Golfo a Doha, graças à mediação do Kuwait e sobretudo pelo reposicionamento dos sauditas que trabalharam para amenizar as divergências árabes, em particular entre o Catar e o Egito.

Há uma vontade clara dos países do Golfo, em sua maioria sunitas, de superar as divergências frente a desafios como os conflitos no Iraque, Síria a Iêmen, o perigo representado pelos grupos jihadistas a sua própria segurança e as tentativa sdo Irã xiita de aproveitar a situação para ampliar sua influência regional, consideram os analistas.

Há meses, a Árabia e os Emirados tentam conseguir concessões do Catar para que demonstre, por atos, que parou de ajudar "grupos extremistas".

Cooperação militar

A reunião de Doha, que deveria durar dois dias, será realizada apenas nesta terça-feira, segundo o comitê de organização.

Pouco após às 16H00 (11H00 de Brasília), os chanceleres dos seis países do CCG iniciaram uma reunião preparatória da cúpula, prevista para 18H00 (13H00 de Brasília).

Vários membros do CCG fazem parte da coalizão internacional liderada por Washington e que realiza ataques no Iraque e na Síria conta o grupo Estado Islâmico (EI).

Os líderes do Golfo devem discutir meios de fortalecer a cooperação militar do grupo, principalmente nas atividades navais e da força policial conjunta.

Também devem analisar os progressos quanto a implementação de vários acordos de luta contra o terrorismo.

Um acordo de união aduaneira também deve ser citado. Ele deveria entrar em vigor no próximo mês, mas muito provavelmente será adiado.

No topo das prioridades está a vertiginosa queda dos preços do petróleo, que representa 90% das receitas do GCC.

O preço do petróleo perdeu 40% de seu valor desde junho. Isto significa que os países do CCG poderiam perder cerca de US$ 300 bilhões.

Os preços continuaram a cair após a decisão no mês passado da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) de manter sua produção inalterada, principalmente sob a pressão dos países do Golfo liderados pela Arábia Saudita, ansioso para preservar suas ações.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
7
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia