Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 04 Agosto |
São João Maria Vianney
home iconAtualidade
line break icon

Talibã do Paquistão critica Malala após entrega do Nobel

<p>A ativista paquistanesa Malala Yousafzai</p>

AFP - publicado em 12/12/14

O movimento talibã paquistanês criticou nesta sexta-feira a ativista Malala Yousafzai, premiada nesta semana com o Nobel da Paz, classificando-a de "um soldado contra a sociedade".

Malala se converteu em símbolo mundial da luta pela educação das meninas depois de sobreviver em 2012 a um ataque dos talibãs, que interceptaram o ônibus escolar onde ela viajava e atiraram em sua cabeça.

A adolescente de 17 anos disse na quarta-feira, depois de receber o Nobel, que seguirá lutando pelo direito das crianças a receber uma educação.

Malala é a pessoa mais jovem e a primeira paquistanesa a receber este prêmio, mas às vezes é criticada em seu país, onde é acusada de ser um fantoche do Ocidente que trai os valores muçulmanos, uma opinião também compartilhada pelos membros da organização que a atacou.

Muhammad Umar Khorasani, porta-voz da principal facção do Movimento Talibã Paquistanês (TTP), disse à AFP que Malala havia ganhado o prêmio Nobel por "promover a cultura ocidental, não a educação".

Em uma sociedade que normalmente relega as mulheres às tarefas domésticas, Malala destacou que seu pai, um professor, a encoraja a seguir seus sonhos.

O porta-voz da organização também o mencionou em suas críticas.

"O pai de Malala, Ziauddin, chegou a um acordo com as potências ocidentais para destruir a sociedade pashtun e o Paquistão", declarou Khorasani, em referência ao grupo étnico majoritário no noroeste do país, zona de onde Malala é originária.

"Está usando Malala como um soldado contra a sociedade islâmica e o ensino do Islã", afirmou.

Após ser baleada várias vezes, Malala foi levada à Grã-Bretanha para prosseguir com sua recuperação. Sua família viajou com ela e vive fora do Paquistão devido às ameaças de morte contra ela.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
4
MAN
Reportagem local
Oração da noite para serenar o espírito e pacificar a ansiedade
5
Pe. Edward Looney
Padre revela: por que sempre levo água benta comigo ao viajar
6
sacerdotes
Reportagem local
Suicídio de sacerdotes: desabafo de padre brasileiro comove as re...
7
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia