Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 18 Abril |
São Galdino
home iconAtualidade
line break icon

Vício em pornografia: uma catástrofe silenciosa na vida dos viciados e das suas famílias

Ween 23

Mark Stricherz - publicado em 16/12/14

A pornografia age no cérebro como uma droga, prejudicando a capacidade de relacionamento

Em plena semana de Natal, o seu amor verdadeiro manda para você… três aplicativos pornográficos e vários vídeos de sexo em alta resolução. A situação não é tão forçada quanto você pode imaginar. O dia do ano em que um dos mais populares sites de pornografia da internet recebe mais acessos é 27 de dezembro, de acordo com as informações do próprio site.

Boa parte dos adultos ainda considera o consumo de conteúdo pornográfico moralmente inaceitável, mas não há consenso sobre o que pode ser feito para restringir com mais severidade o acesso à pornografia na internet.

A Igreja católica mantém uma posição firme quanto ao assunto: a pornografia é uma ofensa grave contra a dignidade da pessoa humana e as autoridades civis devem impedir a produção e a distribuição de material pornográfico (cf. Catecismo, nº 2354).

Nos Estados Unidos, o bispo dom Paul S. Loverde, da diocese de Arlington, no Estado da Virgínia, tem sido um dos líderes mais destacados na luta contra a pornografia. Ainda em 2006, ele escreveu a carta pastoral "Um preço a pagar: o dever de todo homem de proteger a si mesmo e a sua família da cultura pornográfica". A carta, de 80 páginas, foi reeditada e atualizada em março deste ano. Em 5 de dezembro, a organização sem fins lucrativos Morality in Media [Moralidade na Mídia] nomeou Loverde como seu conselheiro.

Aos 74 anos, o bispo conta que lhe apresentam contínuas objeções à condenação da pornografia por parte da Igreja. "Isso é só uma visão religiosa", dizem-lhe muitas pessoas. Loverde discorda: "Não. A oposição da Igreja se baseia em estudos muito sérios da psicologia. A ciência mostra o que a pornografia faz no cérebro humano. Por que prejudicar o nosso cérebro com uma droga?".

O bispo levanta um ponto importante. De acordo com o site YourBrainonPorn.com, assistir a conteúdos pornográficos libera uma carga de dopamina no cérebro humano que leva o espectador a sentir prazer e continuar assistindo. Pesquisadores descobriram que a pornografia pode agir de maneira semelhante a uma droga como a cocaína ou a heroína. "O que sabemos até o momento nos indica que existe uma rede comum entre a reatividade à propensão sexual e à propensão às drogas em grupos com comportamento sexual compulsivo e dependência de drogas, respectivamente. Estas descobertas sugerem sobreposições nas redes subjacentes aos distúrbios do consumo patológico de drogas e de recompensas naturais", informa um estudo publicado pela revista acadêmica da Universidade de Cambridge.

A ideia de que a pornografia seja semelhante a uma droga não é uniforme entre os psicólogos. Segundo alguns estudos, os consumidores ocasionais de pornografia não apresentam diferenças no cérebro em comparação com os chamados viciados em sexo. "Os problemas e queixas relatados pelas pessoas autoidentificadas como dependentes de pornografia e de sexo têm a ver com o contexto em que esses indivíduos estão dando vazão à sua alta libido, e não com um distúrbio em particular", escreveu o psicólogo clínico David J. Ley na Psychology Today, em 2013.

O lucro anual da indústria de filmes adultos é de 10 a 12 bilhões de dólares só nos Estados Unidos. Embora a queda nas vendas de DVDs tenha reduzido os lucros dessa indústria, a pornografia é hoje mais acessível e mais explícita do que nunca. Se antes os homens tinham que ir a cinemas pornô, agora basta ter um computador, um tablet ou um smartphone.

A visão de que a pornografia já faz parte da cultura não é novidade; a mídia destaca com frequência a crescente aceitação da pornografia. Mas há o outro lado da história: se a pornografia se tornou mais popular, a reação contra ela também vem crescendo. E com um fato que chama a atenção: há 30 ou 40 anos, quem mais acusava a pornografia de degradar as mulheres eram as ativistas do sexo feminino; hoje, são os ativistas do sexo masculino os que afirmam que a pornografia prejudica os homens.

  • 1
  • 2
  • 3
Tags:
CasamentoPecadoPornografiaSexualidade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens poderosas
2
MIGRANT
Jesús V. Picón
O menino perdido no deserto nos convida a refletir
3
Pe. Zezinho
Reportagem local
Não desprezem o templo nem posem de católicos avançados, alerta o...
4
Ordenação sacerdotal
Francisco Vêneto
Ex-testemunha de Jeová será ordenado padre católico aos 25 anos
5
MARY, CRUSH, SNAKE
Desde la Fe
10 poderosas armas para lutar contra o demônio
6
SPANISH FLU
Bret Thoman, OFS
Como o Padre Pio encarou a pandemia de gripe espanhola
7
Reportagem local
Hoje celebramos Santa Bernadette, a menina que viu Nossa Senhora ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia