Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma 
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Talibãs dizem que Otan sofreu derrota no Afeganistão

<p>General americano John Campbell em cerimônia da Otan em Cabul em 28 de dezembro de 2014</p>

AFP - publicado em 29/12/14

O fim da missão de combate da Otan no Afeganistão é uma derrota e uma decepção para a coalizão internacional, disseram nesta segunda-feira os talibãs afegãos, um dia após a cerimônia que encerrou 13 anos de intervenção militar.

"Consideramos esta etapa como uma indicação clara de sua derrota e sua decepção", disseram os talibãs em um comunicado em inglês.

"Os Estados Unidos e seus aliados invasores, assim como todas as organizações internacionais arrogantes, sofreram uma derrota evidente nesta guerra assimétrica", acrescentou o comunicado dos insurgentes, que acusam a Otan de ter afundado o país em um banho de sangue.

A Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) da Otan arriou suas bandeiras no domingo, colocando fim às missões de combate.

No entanto, a Otan manterá uma presença militar de 12.500 homens no Afeganistão no âmbito da missão "Apoio Decidido" de ajuda e formação do exército afegão que começará em 1º de janeiro.

Em 1996, ao término de uma fulminante ofensiva militar, os talibãs afegãos tomaram o poder, do qual foram expulsos pela invasão dos Estados Unidos e de seus aliados no fim de 2001.

Desde então, e durante 13 anos, desenvolveram uma mortífera guerra contra as forças ocidentais, o exército e a polícia afegãos.

Nos últimos meses, a insurreição talibã multiplicou os ataques contra os estrangeiros residentes em Cabul.

Segundo a ONU, o número de vítimas civis no Afeganistão em 2014 está prestes a superar os 10.000, o que constitui o pior ano desde 2009.

Os Estados Unidos indicaram que 2014 foi o pior ano para os soldados e policiais afegãos com 4.600 mortos nos primeiros 10 meses.

Por sua vez, diante da saída da Isaf dos combates, o presidente afegão, Ashraf Ghani, convocou os talibãs para negociações de paz.

Mas os talibãs negam-se a discutir diretamente com as autoridades de Cabul.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
4
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
5
Reportagem local
A bela lição que este menino deu a todos ao se aproximar do Papa
6
São José
Francisco Vêneto
Padre irmão de piloto de avião partido em dois: “São José tem mui...
7
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia