Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 18 Janeiro |
home iconAtualidade
line break icon

Chanceler iraniano pede respeito mútuo após nova charge de Maomé

<p>Mohamed Javad Zarif, chefe da diplomacia iraniana, em Dubai no dia 15 de abril de 2014</p>

AFP - publicado em 14/01/15

O chefe da diplomacia iraniana, Mohamed Javad Zarif, pediu nesta quarta-feira respeito mútuo entre as pessoas ao responder a perguntas sobre os atentados da semana passada em Paris e a publicação de um novo número da revista francesa Charlie Hebdo com uma charge de Maomé.

"Achamos que o caráter sagrado dos valores deve ser respeitado e, enquanto não aprendermos a respeitar uns aos outros, será muito difícil viver em um mundo com pontos de vista distintos, culturas diferentes. As civilizações não serão capazes de iniciar um diálogo sério se não começarmos a respeitar os valores de cada um e seu caráter sagrado".

"Teremos um mundo mais seguro se nos comprometermos com um diálogo sério juntos, descobriremos que o que nos une é mais importante do que o que nos divide", acrescentou.

O Irã condenou a publicação nesta quarta-feira de uma charge do profeta Maomé no último número da Charlie Hebdo, classificando-a de insultante e prejudicial "aos sentimentos dos muçulmanos".

"Condenamos o terrorismo em todo o mundo (…) mas ao mesmo tempo condenamos este gesto insultante da revista", afirmou a porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Marzieh Afkham, após a publicação do primeiro número da revista após o atentado da semana passada.

"O desenho fere os sentimentos dos muçulmanos e pode desencadear um novo círculo vicioso de terrorismo", acrescentou.

"O abuso da liberdade de expressão, disseminado atualmente no Ocidente, não é aceitável e deve ser impedido", disse a porta-voz.

O presidente moderado iraniano, Hassan Rohani, condenou na semana passada a violência e o terrorismo e estimou que o atentado contra a revista provocará uma onda de islamofobia.

A publicação na capa de um desenho do profeta, com uma lágrima nos olhos e carregando um cartaz com a frase "Je suis Charlie", também foi criticada pela imprensa iraniana, que a considera insultante para os valores do Islã.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fáti...
UNPLANNED
Jaime Septién
Filme contra o aborto arrasa nas bilheterias ...
BABY BAPTISM
Padre Reginaldo Manzotti
Por que é tão importante batizar uma criança?
Deserto de Negev
Francisco Vêneto
Pedra de 1.400 anos com inscrição mariana é e...
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens pode...
Reportagem local
Papa Francisco: cuidado com os cristãos que s...
POPE JOHN PAUL II
Philip Kosloski
"Não tenhais medo": a frase mais usada por Sã...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia