Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 19 Outubro |
Santos Mártires Canadenses
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Kiev e Washington pressionam Rússia por fim de combates na Ucrânia

<p>O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko</p>

AFP - publicado em 28/01/15

A Ucrânia pediu ao governo da Rússia que controle os combatentes pró-Moscou que enfrentam o governo de Kiev e pressione por um cessar-fogo no leste do país, enquanto Washington ameaçava aumentar a pressão sobre o governo russo.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, enviou uma carta ao colega russo, Vladimir Putin, ao mesmo tempo que o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Jack Lew, também advertiu a Rússia sobre um possível aumento da pressão.

Na terça-feira, a União Europeia ameaçou a Rússia com novas sanções, após um novo momento de tensão na Ucrânia.

As sanções ocidentais e a queda dos preços do petróleo, uma importante fonte de divisas para a Rússia, levaram a economia do país à recessão. A agência Standar & Poor’s rebaixou a nota da dívida soberana de Moscou para a categoria especulativa.

A redução da nota de crédito afastou ainda mais os investidores ocidentais e levou o país de volta ao nível de risco registrado no início do governo de Putin.

Mas as pressões não parecem alterar o tom de Putin, nem abalar a confiança dos russos no presidente.

As sanções tinham como objetivo influenciar a política de Moscou para alcançar um acordo de paz, atualmente paralisado. Desde abril o conflito provocou mais de 5.000 mortes.

No fim de semana passado, um ataque com foguetes matou pelo menos 30 civis no porto estratégico de Mariupol, no leste separatista pró-Rússia da Ucrânia, que permite o acesso à península da Crimeia.

Esta é a última grande cidade controlada pelo governo ucraniano no leste do país.

Os rebeldes negam qualquer responsabilidade nas mortes dos civis, mas observadores internacionais afirmam que os foguetes foram lançados a partir de seu campo.

Poroshenko anunciou que enviou uma carta a Putin para pedir que Moscou exerça um controle sobre os combatentes pró-Rússia.

"Na segunda-feira, enviei uma carta ao presidente Putin. Os principais pontos são o pedido de um cessar-fogo, a implementação dos acordos de Minsk e a libertação de Nadezhda (Nadia) Savchenko", informou a presidência.

A piloto ucraniana Nadia Savchenko afirma que foi sequestrada por rebeldes pró-Rússia na Ucrânia antes de ser enviada a Moscou. Ela é acusada de participação em um ataque que matou dois jornalistas russos em junho do ano passado.

Ajuda americana

O Kremlin ainda não reagiu à carta enviada por Poroshenko, mas esta semana Putin acusou o exército ucraniano de ser a "legião estrangeira da Otan", utilizada pelos ocidentais para "conter" a Rússia.

Durante uma visita a Kiev, Lew afirmou que Washington prefere uma distensão, mas destacou que o país está pronto para endurecer as sanções, caso a situação não melhores.

"Estamos prontos para fazer mais, se necessário. Para terminar isto vamos continuar trabalhando com nossos aliados para aumentar a pressão sobre a Rússia", afirmou à imprensa após uma reunião com a ministra ucraniana Natalie Jaresko.

Moscou nega ajudar os rebeldes e afirma que as medidas adotadas por Estados Unidos e União Europeia são uma tentativa de fragilizar o país.

"Ao mesmo tempo temos sido claros desde o início: se Moscou implementar as obrigações dos acordos de Minsk, as sanções poderiam ser suavizadas", completou Lew.

O secretário americano também informou a Jaresko que Washington pode conceder até três bilhões de dólares para aliviar a abalada economia ucraniana.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
2
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
3
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
4
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
5
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
6
Reportagem local
O grande crucifixo submerso que só pode ser visto quando o lago c...
7
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia