Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 22 Abril |
São Leônidas
home iconReligião
line break icon

Como um padre se sente do lado de dentro do confessionário?

Emilio-Labrador-CC

Pe. Mike Schmitz - publicado em 30/01/15

Um capelão universitário fala do "lugar mais alegre, humilde e inspirador do mundo"

Certa vez, eu estava em um ônibus com um grupo de pessoas mais idosas que eu, na volta de um aeroporto. Viram que eu era sacerdote e começaram a me fazer perguntas:

– O senhor faz tudo o que os padres fazem?

– Sim.

– Também a questão da confissão?

– Sim, sempre.

Uma senhora bem idosa suspirou: "Acho que esta deve ser a pior parte, deve ser muito deprimente, ouvir todos os pecados das pessoas…".

Eu lhe disse que era exatamente o contrário. Não há nada mais grandioso do que estar com alguém enquanto volta a Deus. "Seria deprimente ver alguém se afastando de Deus, mas eu acompanho as pessoas quando elas voltam para Ele".

O confessionário é o lugar mais alegre, humilde e inspirador do mundo.

O que eu vejo durante a confissão?

Em primeiro lugar, vejo a misericórdia de Deus agindo. Fico face a face com o poder esmagador e transformador do amor de Deus. Vejo de perto o amor divino e isso me lembra como Deus é bom.

Nem todo mundo consegue ver como o sacrifício de Deus na cruz irrompe constantemente na vida das pessoas e derrete os corações mais duros. Jesus consola os que choram pelos seus pecados e reforça os que sentem a tentação de render-se diante de Deus ou da vida.

Como padre, vejo estas coisas todos os dias.

Vejo um santo "em processo de fabricação"

Também vejo uma pessoa que ainda está lutando, um santo em fase de fabricação. Não me interessa se é a terceira vez na semana que a pessoa se confessa: se ela procura o sacramento da Reconciliação, significa que está lutando, que está tentando.

Isso é tudo que me interessa. Este pensamento é digno de consideração: ir se confessar é um sinal do fato de que não nos rendemos diante de Jesus.

Se eu fico lembrando dos seus pecados? Não!

As pessoas costumam me perguntar se me lembro dos pecados que ouço. Como sacerdote, é bem raro que isso aconteça. Pode parecer impossível, mas a verdade é que não são tão dignos de atenção. Não são como um pôr-do-sol memorável, nem como uma chuva de meteoros ou um filme de suspense… Parecem mais um monte de lixo e pronto.

E se os pecados são como lixo, então o padre é como o varredor de Deus. Se você pergunta a um gari qual foi o maior lixo que ele já recolheu, pode ser que se lembre, mas o fato é que, uma vez acostumados a tirar o lixo, este deixa de ser digno de atenção.

Sinceramente, uma vez que a pessoa percebe que o sacramento da Confissão não tem tanto a ver com o pecado, mas sim com a morte e ressurreição de Cristo que vencem na vida de alguém, então os pecados perdem seu fulgor e a vitória de Jesus ocupa o lugar central.

Na Confissão, encontramos o amor transformador de Deus, que nos recorda: "Você é digno de que eu morra por você… inclusive nos seus pecados".

Cada vez que alguém vem se confessar, eu vejo essa pessoa como alguém profundamente amado por Deus e que está correspondendo a este amor. É assim, isso é tudo o que importa.

Na confissão, vejo minha fraqueza

Outra coisa que o padre vê quando escuta as confissões é sua própria alma. Para um sacerdote, o confessionário é um lugar que dá medo. Nem me atrevo a lhe contar quão humilde me sinto quando alguém se aproxima da misericórdia de Jesus através de mim.

Os pecados das pessoas não me intimidam; o que me impressiona é que sejam capazes de reconhecer em suas vidas pecados aos quais eu estive cego, na minha vida. Escutar a humilde de alguém destrói meu orgulho. É um dos meus melhores exames de consciência.

Mas por que a confissão impressiona tanto um sacerdote? Pela maneira como Jesus confia no fato de que eu seja um sinal vivo da sua misericórdia.

  • 1
  • 2
Tags:
ConfissãoTestemunho
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens poderosas
2
ROBERTO CARLOS
Ricardo Sanches
A música que Roberto Carlos cantou no próprio aniversário de 80 a...
3
Ordenação sacerdotal
Francisco Vêneto
Ex-testemunha de Jeová será ordenado padre católico aos 25 anos
4
BENEDICT XVI
Francisco Vêneto
Em nova e extensa biografia, Bento XVI desmascara o atual “...
5
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma gestação rara
6
MIGRANT
Jesús V. Picón
O menino perdido no deserto nos convida a refletir
7
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia