Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Eu daria a vida para salvar estas crianças!

Compartilhar

A história do homem que inventou o "baby box" para salvar recém-nascidos abandonados

“Deus me adotou. Por isso, dedico toda a minha vida a salvar estes pequenos abandonados“: a história de Lee Jong-rak comove profundamente a alma e a consciência humanas.

Seu testemunho de vida, universalmente reconhecido, tornou-se um filme documentário produzido em Seul (Coreia do Sul). “The Drop Box” está chamando a atenção do público, ao mostrar o grande problema do abandono dos recém-nascidos logo nos primeiros dias de vida.

Recém-nascidos abandonados

No mundo inteiro, são milhares de recém-nascidos abandonados por mães que não podem ou não querem cuidar deles. Por isso, desde 1998, um pastor cristão acolheu em sua própria casa dezenas de recém-nascidos, muitos dos quais têm grandes deficiências.

Lee cuidou deles graças à ajuda da sua esposa, Chun-ja, e de uma pequena equipe de “anjos” que se dedicam também ao cuidado dos bebês, graças à sua “caixa de bebês”.

Uma forma de acolher

Por meio de uma pequena caixa expressamente colocada ao lado da casa – a “drop box”, título do filme –, os pais dos pequenos, muitas vezes inesperados ou com graves deformações físicas, podem confiá-los aos cuidados da família Lee.

Esta foi uma ideia simples e ao mesmo tempo genial, que está presente também em alguns hospitais italianos, que permitiram que o pastor coreano salvasse a vida de muitos bebês que, de outra maneira, teriam acabado na rua.

A história pessoal e o filme

Por trás desta opção de vida, existe uma motivação dolorosamente pessoal: há menos de 30 anos, a esposa de Lee deu à luz um bebê completamente desfigurado, e ele decidiu escondê-lo durante um mês, na esperança de encontrar uma forma de explicar que seu único filho, ainda vivo hoje, tinha nascido gravemente doente.

Quase por acaso, o eco da missão humanitária de Lee chegou aos Estados Unidos. Em 2011, depois de ter lido um artigo sobre ele no Los Angeles Times, o diretor Brien Ivie e os coprodutores Will Tober e Bryce Komae, naquele então ainda estudantes em uma universidade da Califórnia, decidiram arrecadar fundos para documentar esta incrível história de coragem e sacrifício.

O resultado é “The Drop Box”, que nos EUA chegará aos cinemas na primeira semana de março: um documentário intenso, às vezes chocante, mas repleto de esperança.

Em uma época dominada pela “cultura do eu”, a entrega de um homem que dedicou sua vida aos outros brilha mais que mil estrelas (Yahoo Cinema, 30 de janeiro).