Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Pelo menos 44 civis morrem em bombardeios do governo sírio

Menino sírio aguarda para ser atendido em um hospital improvisado na zona rebelde de Duma, após bombardeios atribuídos às forças leais ao presidente

Compartilhar

Pelo menos 44 civis morreram em ataques aéreos lançados pelo governo sírio contra uma região controlada por rebeldes na província de Dara (sul), informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) nesta segunda-feira.

Os bombardeios em Khasem deixaram 16 civis mortos e mais de 25 feridos, afirmou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

De acordo com Abdel Rahman, Damasco lança esses ataques para colocar a população contra os rebeldes nas localidades controladas por estes últimos.

O ataque da aviação do presidente sírio, Bashar al-Assad, ocorre no momento em que os rebeldes lançam sua maior ofensiva no sul do país em meses.

Embora os rebeldes tenham sofrido várias derrotas contra as forças governamentais, eles mantêm sua vantagem em Dara, onde "a maior parte do oeste da província está fora do controle do governo", relatou Abdel Rahman.

Além disso, completou, também se beneficiam do fato de "as linhas de abastecimento da Jordânia continuarem abertas".

Ao mesmo tempo, os bombardeios contra o reduto rebelde de Duma, ao leste de Damasco, mataram ao menos dez civis e feriram dezenas de pessoas, acrescentou o OSDH.

Os ataques aéreos foram lançados em áreas residenciais. Os feridos são, em sua maioria, crianças, constatou a equipe da AFP no local.

Em Khan Sheijun, na província a noroeste de Idleb, 15 pessoas morreram, entre elas um oficial que havia desertado do Exército regular, informou o OSDH.

O regime sírio começou os bombardeios em julho de 2012.

Mais ao norte, perto da fronteira com a Turquia, as forças curdas repeliram o grupo Estado Islâmico em uma série de localidades, uma semana depois de expulsar os "jihadistas" da cidade curdo-síria de Kobane.

Outras três pessoas morreram em diferentes províncias: em Aleppo, em Damasco e em Deraa.

Ainda segundo Abdel Rahman, as forças curdas e os rebeldes mataram dez "jihadistas" nas últimas 24 horas.

A guerra na Síria começou com uma revolta pacífica em março de 2011, que, rapidamente, converteu-se em uma guerra entre rebeldes e o governo. Desde então, mais de 200 mil pessoas morreram, e quase metade da população abandonou suas casas.