Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 25 Outubro |
Santo Antônio de Sant’Anna Galvão 
Aleteia logo
home iconReligião
line break icon

Quem pode receber a unção dos enfermos?

© Religiosos Camilos en Chile

Aleteia Vaticano - publicado em 06/02/15

Se você acha que só os moribundos podem receber este sacramento, está muito enganado

Se algum de vocês estiver doente, que chame os presbíteros da Igreja, para que orem por ele e lhe deem a unção com óleo em nome do Senhor. A oração que nasce da fé salvará o enfermo, o Senhor o aliviará e, se tiver pecados, estes lhe serão perdoados (cf. Tiago 5, 14-15).

Isso é o que o apóstolo Tiago nos diz em sua carta, e nos permite ver que ungir os enfermos é um costume que vem de longe, lá dos apóstolos, e que essa unção é um sacramento instituído por Cristo para dar-nos a saúde do corpo e da alma.

Medo da unção dos enfermos?

Aceitamos a utilidade e a necessidade deste sacramento, que faz parte da nossa cultura católica. Mas, para alguns, é algo que deve ser adiado o máximo possível, porque se tem a ideia de que se trata da “extrema unção”, ou seja, o último sacramento a ser recebido antes de morrer, e é por isso que muitos acham que este sacramento só pode ser recebido quando a pessoa vai morrer logo depois.

Inclusive há pessoas que chamam o padre para que dê a unção um doente que sofre uma longa agonia, para que possa descansar, para que possa morrer em paz.

Um sacramento que dá vida!

A unção dos enfermos foi instituída por Jesus quando enviava os apóstolos a pregar o Evangelho, a visitar os doentes e curá-los (cf. Marcos 6, 13).

A saúde física do enfermo é uma boa notícia, um “evangelho”, que o cristão recebe quando mais precisa, já que a doença faz com que nos sintamos extremamente necessitados de Deus e dos outros. A unção tem também o efeito de perdoar os pecados e a voltar à graça perdida por eles.

Os sacerdotes têm a oportunidade de ver como muitos doentes, inclusive moribundos, recuperam a saúde depois da unção. É a fé da Igreja que alcança a saúde do corpo.

Mudança de mentalidade

Graças a Deus, já está havendo uma mudança de mentalidade entre os próprios cristãos com relação a este sacramento da unção dos enfermos. Hoje em dia, vemos como os doentes buscam ser ungidos sempre que se sentem em risco de morte.

Em minha paróquia, estamos acostumados a que, quando alguém vai passar por uma cirurgia, é ungido na missa comunitária, e todos os presentes rezam pela sua saúde. Então, quando a pessoa chega ao hospital, já está repleta de confiança em Deus e disposta a lutar contra a sua doença.

Também costumamos ungir os idosos quando sentem que sua idade avançada é anúncio da sua morte.

No entanto, percebemos que há um abuso nas chamadas “missas de cura”, celebradas periodicamente em alguns templos, já que são procuradas por pessoas que não estão doentes, e outras que recebem o sacramento todos os meses. Mas a Igreja nos ensina que este sacramento deve ser recebido somente um vez em uma doença – a não ser, logicamente, que haja uma recaída.

Como deve ser

Quando nos sentimos gravemente doentes, não necessariamente em perigo de morte, podemos procurar um padre para receber a unção dos enfermos. Este sacramento pode ser administrado inclusive a quem não está casado pela Igreja ou vive em adultério.

Os padres e bispos têm a obrigação gravíssima de visitar os doentes que solicitam a unção dos enfermos.

Os fiéis não são obrigados a dar aos padres nenhum pagamento pela sua visita, nem sequer para seu transporte. A igreja determina esta medida para evitar que os doentes deixem de chamar um padre por falta de dinheiro.

Se o padre se negar a visitar o doente, pode-se pedir ao padre de uma paróquia vizinha. E notificar o bispo correspondente sobre a negativa do sacerdote, pois isso é uma falta grave.

O ideal é procurar o padre mais próximo, não necessariamente o mais conhecido pela pessoa.

Alguns padres têm medo de ser assaltados e até sequestrados, mas este é um dos riscos de ser sacerdote, ainda que, por prudência, podem ir acompanhados por alguns paroquianos.

Logicamente, há emergências que ninguém pode prever, mas, na maior parte das vezes, deve-se chamar o padre assim que o doente entrar em um estado grave.

Procurem dar ao enfermo a oportunidade de estar consciente no momento de receber estes sacramentos, e não esperem que ele perca a consciência.

Os familiares próximos têm a obrigação grave de buscar ajuda espiritual para o seu enfermo.

(Publicado originalmente por Desde la Fe)

Tags:
Sacramentos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Casal brasileiro com 8 filhos espera gêmeos
Francisco Vêneto
Jovem casal brasileiro com 8 filhos espera gêmeos: “cada um vale ...
2
Papa Emérito Bento XVI
Francisco Vêneto
Bento XVI: “Espero me unir logo” aos amigos que já estão na etern...
3
Papa Francisco São José Menino Jesus
Ricardo Sanches
A oração a São José que o Papa Francisco reza todos os dias há 40...
4
Reportagem local
A bela lição que este menino deu a todos ao se aproximar do Papa
5
São João Paulo II
Reportagem local
A última frase de São João Paulo II antes de partir desta vida
6
Ary Waldir Ramos Díaz
O papa que enfurece o diabo: São João Paulo II fez exorcismo dent...
7
Don José María Aicua Marín
Dolors Massot
Padre morre de ataque cardíaco enquanto celebrava funeral
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia