Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 25 Julho |
Santa Glodesinda
home iconAtualidade
line break icon

Obama pede aprovação do Congresso para combater EI no terreno

<p>O presidente americano, Barack Obama</p>

AFP - publicado em 12/02/15

A coalizão liderada pelos Estados Unidos no combate aos extremistas do Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria está "na ofensiva" e vai vencer, afirmou o presidente americano, Barack Obama, nesta quarta-feira, após pedir ao Congresso, em Washington, para apoiar seus esforços de guerra.

Em um ato similar a uma declaração de guerra, Obama pediu ao Congresso autoridade para levar o combate ao grupo EI para além de seu reduto atual, na Síria e no Iraque, caso seja necessário.

"Nossa coalizão está na ofensiva", disse Obama, acrescentando que o Estado Islâmico está "na defensiva" e "vai perder".

Ele prometeu aumentar a ofensiva, amplamente concentrada em operações aéreas, com ataques secretos, se for preciso.

"Se tivermos informações de Inteligência disponíveis a respeito de uma reunião de líderes do Isil (acrônimo em inglês para o Estado Islâmico) e nossos parceiros não tiverem a capacidade de apanhá-los, eu estaria pronto a ordenar que nossas forças especiais entrassem em ação", justificou Obama.

"Eu não vou permitir que estes terroristas tenham um abrigo seguro", frisou.

A requisição de Obama indica uma escalada nas pressões sobre o Estado Islâmico, enquanto o governo iraquiano prepara uma grande ofensiva terrestre, prevista para alguns meses.

Também daria uma base legal mais firme para dar prosseguimento a uma campanha militar com meses de duração e fornecer cobertura política em casa.

Desde meados de 2014, o Exército americano realiza uma campanha de ataques aéreos contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Com a morte da refém americana Kayla Mueller e o assassinato de outros três reféns americanos, Obama está sob pressão para reexaminar sua estratégia e intensificar a luta.

Para obter o apoio do Congresso, controlado pelos republicanos, e superar as instabilidades em seu próprio Partido Democrata, Obama estabeleceu limites sobre seu poder, tanto na forma quanto no alcance, para mobilizar tropas.

A legislação proposta "não autoriza o uso das Forças Armadas dos Estados Unidos em operações ofensivas duradouras de combate no terreno", diz o esboço enviado para avaliação do Congresso.

Obama declarou que os Estados Unidos "não deveriam ser arrastados novamente em uma nova e longa guerra no terreno no Oriente Médio".

A autorização também "terminaria três anos depois da data de ratificação dessa resolução conjunta, a menos que seja reautorizada".

Além disso, Obama terá de se reportar ao Congresso a cada seis meses.

Com a aproximação das eleições de 2016 e as penosas discussões sobre as guerras anteriores ainda afetando a memória política americana, Obama foi rápido em deixar claro que isso não seria uma sequência do Iraque, ou do Afeganistão.

"As forças locais no terreno, que conhecem melhor seus países, estão mais bem posicionadas para assumir o combate no terreno contra o Isil", acrescentou.

O senador republicano Bob Corker, que preside a Comissão de Relações Exteriores da Câmara alta, disse que "começaria rapidamente a celebrar audiências rigorosas" sobre a autorização, que conta com seu apoio.

Outros republicanos alertaram que a linguagem no texto poderia obstruir as tropas, limitando sua capacidade de escolher a melhor estratégia.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
6
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
7
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia