Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 02 Agosto |
Santo Eusébio de Vercelli
home iconAtualidade
line break icon

Perfil dos jihadistas europeus se tornou muito diverso

© Al Furqan

Agências de Notícias - AFP - publicado em 17/02/15

Percebemos nos últimos meses que os fundamentalistas modificaram seus discursos. Propõem agora diversas motivações. Graças à internet, apresentam vários tipos de sonhos, de utopias

O perfil dos jovens seduzidos na Europa pelo chamado da Jihad, na Síria ou em seus respectivos países, se ampliou e engloba um segmento de idade, sem distinção de classe e para além dos bairros considerados complicados, segundo especialistas.

Só neste fim de semana, um jovem jihadista matou duas pessoas em um ataque contra um centro cultural e uma sinagoga na Dinamarca, e um novo vídeo do Estado Islâmico exibiu seus membros fazem a decapitação coletiva de 21 egípcios cristãos coptas.

"Durante anos o discurso fundamentalista teve como alvo jovens frágeis", declarou à AFP a antropóloga Dounia Bouzar, do Centro de Prevenção das Derivas Sectárias ligadas ao Islã.

"Famílias destruídas, pai fracassado, alcoólatra, preso, violento ou drogado. Eram jovens que podiam ser envolvidos facilmente, esse era o perfil tradicional", afirmou.

"Mas percebemos nos últimos meses que os fundamentalistas modificaram seus discursos. Propõem agora diversas motivações. Graças à internet, apresentam vários tipos de sonhos, de utopias."

"O problema alcança agora jovens que têm um futuro social e que podem estar no segundo ano de Ciência Política ou Medicina. Jovens provenientes de famílias estáveis, afetuosas, de classe média. Filhos de professores, funcionários públicos, médicos, advogados", acrescentou.

Arrependidos que fizeram estudo superior "nos escrevem para dizer como estiveram prestes a se envolver (…) Isso não tem nada a ver com a imigração. A filha de um grande médico parisiense caiu em suas redes. Seria tão fácil se fosse um fenômeno social", declara.

Embora os autores dos recentes ataques de Paris contra a Charlie Hebdo ou o mercado kasher tivessem perfis mais previsíveis, com períodos na prisão e dificuldades socioeconômicas, a lista dos aprendizes jihadistas que viajaram para se unir às fileiras do grupo Estado Islâmico inclui jovens ao que parece bem integrados, com empregos ou que estudavam.

Alguns cresceram em subúrbios ou bairros difíceis, mas outros, como o francês David Drugeon, convertido em artífice para a Al-Qaeda, tiveram infâncias sem problemas em cidades tranquilas, entre escolas e campos de futebol.

Mohamed Belhoucine, de 27 anos, condenado em julho a dois anos de prisão por encorajar sites jihadistas, que depois viajou à Síria, se radicalizou em seu quarto de estudante em Albi (sul), onde conseguiu passar no difícil concurso de admissão à Escola de Minas, uma das melhores da França para cursar engenharia.

E em Schiltigheim, pequena cidade próxima a Estrasburgo (leste), os amigos de Youssoup Nassoulkhanov, jovem checheno que viajou à Síria e era assistente infografista na prefeitura, ficaram chocados quando o ouviram em um vídeodivulgado na internet dirigindo-se aos "irmãos muçulmanos".

Na mensagem ele dizia: "Façam o que puderem, os matem, degolem, queimem seus veículos e casas. O califado se instalará em toda a Europa".

"Eu o conhecia, discutíamos, nos divertíamos", declarou à AFP Yann Lymand, de 36 anos, responsável pelo serviço de infografia da prefeitura. "Era um rapaz amável, não odiava a França nem os franceses ou os muçulmanos…".

O especialista Thomas Hegghammer, diretor de investigações no Estabelecimento norueguês de investigação sobre defesa (FFI) em Oslo, está certo de que as autoridades "nunca conseguirão estabelecer um perfil pertinente de terrorista. Não há perfil típico. É um amplo grupo humano e todos são diferentes".

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
3
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
4
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
5
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
6
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
7
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia