Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 24 Julho |
home iconAtualidade
line break icon

Muitos muçulmanos americanos vivem com medo, afirma Obama

<p>O presidente americano, Barack Obama</p>

AFP - publicado em 19/02/15

O presidente americano, Barack Obama, declarou nesta quarta-feira que muitos muçulmanos americanos vivem com medo, após o homicídio, há uma semana, de três estudantes muçulmanos na cidade universitária de Chapel Hill, sudeste dos Estados Unidos.

"Ainda não sabemos por que estes três jovens (…) foram brutalmente assassinados em Chapel Hill. Mas sabemos que muitos muçulmanos americanos em todo o país estão preocupados e têm medo", escreveu Obama em uma coluna, coincidindo com o segundo dia de uma reunião contra o extremismo realizada em Washington com a participação de representantes de 60 países.

"Os americanos de todas as religiões e de todas as origens devem permanecer unidos com uma comunidade em luto e insistir no fato de que uma pessoa jamais deve ser atacada por ser quem é, por sua aparência ou seu credo", disse o presidente americano no texto publicado no Los Angeles Times.

O triplo homicídio provocou comoção nos Estados Unidos e no mundo. Milhares de pessoas acompanharam na última quinta-feira o funeral dos jovens.

A polícia não determinou ainda se as vítimas, Yusor Abou-Salha, Razan Abou-Salha e o marido de Yusor, Deah Shaddy Barakat, foram assassinadas por motivos religiosos ou devido a uma disputa com vizinhos.

O suspeito pelos três crimes é Craig Stephen Hicks, de 46 anos, que se entregou à polícia após as mortes. Ele é acusado de assassinato e pode ser condenado à pena de morte ou à prisão perpétua.

"Para enfrentar a Al-Qaeda e a organização Estado Islâmico, que propagam a mentira de que os Estados Unidos estão em guerra contra o Islã, temos todos um papel na defesa dos valores de pluralismo que nos definem", disse Obama.

"Este pluralismo por vezes foi ameaçado por ideologias de indivíduos cheios de ódio", acrescentou, fazendo alusão ao ataque lançado em agosto de 2012 em um templo Sikh em Oak Creek, Wiscosin (norte), e à morte de três membros da comunidade judaica no Kansas (centro) em abril de 2014.

Obama fará um discurso ao fim da tarde desta quarta-feira no encontro realizado em Washington, anunciado pelos Estados Unidos em janeiro, pouco depois dos atentados em Paris, mas previsto desde antes.

Na quinta-feira participarão do encontro o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, os ministros do Interior de França e Grã-Bretanha, Bernard Cazeneuve e Theresa May, os ministros das Relações Exteriores de Jordânia e Japão, Naser Judeh e Yasuhide Nakayama, e o secretário-geral da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI), Iyad Madani.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia